Ministro preocupado com salários da ENP

(DR)

O ministro da Construção e Obras Públicas assumiu segunda-feira que vai analisar a situação dos trabalhadores da Empresa Nacional de Pontes, com salários em atraso há 48 meses, mas apelou igualmente ao “diálogo” entre sindicato e administração.

“Temos algumas perspectivas no nosso plano orçamental e isso pode ajudar a resolver já os problemas candentes e equacionar o problema dos atrasados”, disse Manuel Tavares de Almeida, após visitar as instalações daquela empresa pública, no município do Cazenga, em Luanda.

Na ocasião, o governante, que assumiu o cargo no final de Setembro, assegurou que serão elaborados programas “para alavancar” a Empresa Nacional de Pontes (ENP).

“Conversamos com a direcção, com a comissão sindical, demos uma palavrinha de conforto aos trabalhadores. Nós, a nível do ministério, vamos trabalhar estreitamente com a direcção da empresa para gizar programas de alavancagem da empresa, para a mesma sair desta situação”, assumiu.

Com dívidas para com os trabalhadores que datam desde 2011, a direcção da Empresa Nacional de Pontes liquidou em Agosto quatro dos salários em falta, pelo que segundo a comissão sindical estão ainda em atraso 48 meses de pagamentos.

Segundo o ministro, a situação daquela empresa pública “foi agravada igualmente pela crise económica e financeira” que Angola vive, garantindo mesmo que “a empresa até tem valores a receber”, mas na forma de títulos. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA