Ferrari ameaça abandonar a Fórmula 1

(DR)

“Se virmos que, em 2021, o desporto toma outra direção, seremos forçados a tomar decisões”, afirmou o CEO Sergio Marchionne, a propósito das alterações propostas pela Liberty

As ideias avançadas pela Liberty quanto às alterações na Fórmula 1 a partir de 2021 não caíram bem no seio das equipas. A Mercedes e a Renault foram as primeiras a mostrar preocupações, mas a Ferrari foi mais longe e ameaça mesmo abandonar a competição.

Sergio Marchionne, diretor executivo da marca italiana, apresentou, esta quinta-feira, os resultados financeiros do último exercício, quando deixou cair uma ‘bomba’ que surpreendeu tudo e todos: “Se mudam o terreno de jogo ao ponto de que se converta em algo irreconhecível, não queremos participar mais”.

“A Liberty tem boas intenções, como reduzir os custos das equipas, que penso ser algo bom, mas há algumas coisas com que não concordamos. Uma delas é o facto de que, de alguma maneira, a singularidade do motor não será um dos fatores distintivos dos participantes, e eu não toleraria isso. Se virmos que, em 2021, o desporto toma outra direção, seremos forçados a tomar decisões”, começou por dizer, em declarações reproduzidas pelo jornal espanhol As.

“Deve ficar totalmente claro que, a não ser que encontremos uma série de circunstâncias cujos resultados sejam benéficos para a manutenção da marca, do mercado e do fortalecimento da posição única da Ferrari, a Ferrari não participará. Isso teria muitas implicações, à parte da redução de custos da nossa estrutura. Abriria uma grande quantidade de alternativas sobre aquilo que poderíamos estar a fazer no futuro”, completou. (Desporto ao Minuto)

por Carlos Pereira Fernandes

DEIXE UMA RESPOSTA