Fastjet começa a operar em Moçambique

Um avião da Companhia Fastjet durante o voo inaugural entre Maputo e a Beira, realizado por uma companhia de capitais estrangeiros, no aeroporto de Maputo, em Moçambique, 03 de novembro de 2017 (ANTÓNIO SILVA/LUSA)

Uma nova companhia aérea passa a operar no mercado moçambicano a partir desta sexta-feira. Trata-se da Fastjet que entra para o mercado apostando em baixos custos como estratégia para conquistar o mercado agora liberalizado.

A primeira companhia aérea de capitais estrangeiros passa a partir desta sexta-feira a realizar voos domésticos regulares de passageiros no território moçambicano.

Trata-se da Fastjet detida pela sul-africana Solenta Aviation e que faz parte de um consórcio de capitais da África do Sul e Grã-Bretanha. De notar que a Solenta Aviation foi fundada em 2000 e tem sede em Joanesburgo, na África do Sul.

Em comunicado a companhia tornou público que o voo inaugural segue esta sexta-feira de Maputo para a cidade da Beira, mas vai também passar a fazer ligações entre Maputo e as cidades de Tete e Nampula, províncias do norte e centro de Moçambique. Os aviões têm capacidade para 50 passageiros.

A Fastjet já opera na Tanzânia, Zâmbia, Zimbabué, e África do Sul, entre outros países, com mais de 2,8 milhões de passageiros e com um desempenho de 94% de pontualidade.

Até agora, só a empresa de aviação estatal Linhas Aéreas de Moçambique LAM realizava voos domésticos, mas problemas de gestão e falta de aviões têm provocado atrasos e remarcação de voos daí a decisão, justifica o Instituto de Aviação Civil à abertura do espaço aéreo moçambicano a outras companhias. (RFI)

DEIXE UMA RESPOSTA