Ler Agora:
Estrela ‘zombie’ recusa-se a morrer
Artigo completo 2 minutos de leitura

Estrela ‘zombie’ recusa-se a morrer

A estrela é de numa galáxia próxima e está a intrigar os astrónomos.

Os astrónomos revelaram recentemente que uma estrela que explodiu em 2014, terá explodido também em 1954. Tudo nestas revelações se torna estranho pois uma supernova normalmente desaparece em cerca de 100 dias, esta continua a brilhar depois de 1000 dias.

Este fenómeno está a desafiar as teorias sobre a morte destes astros e a deixar os cientistas intrigados. Até porque encontraram provas de que 60 anos antes uma estrela explodiu no mesmo sítio.

A estrela que está a 500 milhões de anos luz foi descoberta em 2014 e inicialmente assemelhava-se a qualquer outra estrela em fase final de “vida”, mas meses depois os astrónomos observaram-na a ficar mais brilhante, ao contrário do que acontece a uma estrela que está a morrer. Ficou mais escura, depois brilhou mais e depois ficou mais escura cinco vezes.

A descoberta publicada na revista Nature refere ainda que a supernova, denominada oficialmente como iPTF14hls, terá sido uma estrela 100 vezes maior do que o sol e que a sua explosão terá sido uma das maiores observadas. O seu tamanho pode ser a explicação para o seu comportamento pouco usual.

Uma das possibilidades avançadas para já pelos cientistas é a de que terá sido uma estrela tão grande com um núcleo tão quente que quando explodiu as camadas exteriores foram projetadas, mas o seu centro ficou intacto o suficiente para repetir o processo. Mas esta teoria não explica tudo sobre esta supernova.

“Eventualmente esta estrela vai desvanecer”, afirmou um dos investigadores, citado pelo NYPost, “A sua energia tem de esgotar eventualmente”. Nada dura para sempre, nem esta estrela ‘zombie’. (Tecnologia ao Minuto)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.