Disney anuncia nova trilogia de “Star Wars”

(DR)

A Disney anunciou, quinta-feira, que vai lançar uma nova trilogia de “Star Wars”, elaborada e dirigida por Rian Johnson, adinta a AFP.

O presidente da empresa, Bob Iger, disse, em conferência telefônica, que a Lucasfilm chegou a acordo com Johnson, director do “Episódio VIII: Os Últimos Jedi”, para “desenvolver uma nova trilogia de ‘Star Wars'”.

“Temos grandes ambições para a franquia ‘Star Wars'”, disse Iger. “Temos mais filmes de “Star Wars” planeados para os próximos anos”.

“Os Últimos Jedi” estrea em 15 de Dezembro nos Estados Unidos e o “Episódio IX”, dirigido por J.J. Abrams, em 2019.

Abrams – também director do “Episódio VII: O Despertar da Força” (2015) – assumiu a produção depois que Colin Trevorrow saiu por diferenças criativas com o estúdio.

O site da Lucasfilm, propriedade da Disney, informou que Johnson vai escreverá e dirigir a próxima trilogia, “que é separada da saga de Skywalker”.

“Johnson vai apresentar novos personagens de um recanto da galáxia que “Star Wars” nunca explorou antes”, acrescentou.

Johnson também é conhecido por “Looper: Assassinos do Futuro”, “A Ponta de um Crime” e “Vigaristas”.

“Todos amam trabalhar com Rian”, disse a presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy, citada no texto. “Tem sido uma força criativa e vê-lo criar ‘Os Últimos Jedi’ do início ao fim foi um dos grandes prazeres da minha carreira”.

“Rian vai fazer coisas maravilhosas com esta tela em branco para a nova trilogia”.

“Tivemos o melhor momento das nossas vidas ao colaborar com a Lucasfilm e a Disney em “Os Últimos Jedi'” e “estamos ansiosos para prosseguir com esta nova série de filmes”, declarou Johnson num comunicado com o seu produtor Ram Bergman.

O próximo filme, gravado na costa oeste da Irlanda e nos Pinewoods Studios, na região de Londres, mostra um Luke a ensinar Rey (Daisy Ridley) os caminhos da força, e especula sobre o destino da princesa Leia (agora general Leia Organa), interpretada pela finada Carrie Fisher.

“Star Wars” é a franquia mais lucrativa e influente da história do cinema. Desde a estreia do primeiro filme, em 1977, se arraigou na cultura “geek” e impulsionou alguns dos maiores emprendimentos do Vale do Silício.

A Disney apresentou, quinta-feira, resultados abaixo do esperado para o seu quarto trimestre do exercício 2016/2017 devido a lucros baixos nos seus estúdios de cinema.

O lucro líquido baixou 1%, a 1,747 bilhão de dólares, e o volume de investimentos caiu 3%, a 12,779 bilhões, quando eram esperados 13,340 bilhões. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA