Coreia do Sul impõe novas sanções a Pyongyang

(DR)

A decisão foi anunciada em vésperas da visita de Donald Trump a SeuL.

A Coreia do Sul vai levantar novas sanções contra Pyongyang, proibindo concretamente transações com 18 responsáveis de bancos norte-coreanos instalados na China, na Rússia e na Líbia.

A decisão foi anunciada em vésperas da visita de Donald Trump a Seul, que sanciona assim unilateralmente a atividade daqueles que considera suspeitos de contribuírem para o desenvolvimento nuclear da Coreia do Norte.

Um representante do governo declarou que a medida se destina “a evitar transações problemáticas com a Coreia do Norte e a controlar as transações em geral, para ajudar a bloquear os principais recursos de Pyongyang em termos de trocas externas e o desenvolvimento de armas de destruição massiva”.

Os visados já são alvo de sanções americanas. A medida de Seul é sobretudo simbólica, uma vez que as relações comerciais com o vizinho a Norte são praticamente inexistentes. Mesmo assim, é mais um capítulo no agravamento das tensões que tem originado várias manifestações contra o conflito.

Uma ativista sul-coreana afirmava que “a Coreia do Norte e os Estados Unidos deveriam tomar decisões conjuntas. Já houve negociações nesse sentido. Trump deveria caminhar nessa direção, para que haja paz na península coreana”.

Os recentes testes de mísseis balísticos do regime norte-coreano, alguns dos quais supostamente com alcance sobre território americano, provocaram uma nova série de sanções por parte da ONU. (Euronews)

DEIXE UMA RESPOSTA