Chefe de Estado quer mais investidores nos diamantes

Presidente João Lourenço (Foto: Alberto Julião)

O Presidente da República, João Lourenço, defendeu nesta sexta-feira, em Luanda, a necessidade da nova direcção da Endiama criar políticas para atrair os grandes investidores e as multinacionais dos diamantes, por forma a as motivar a investir no país.

O Titular do Poder Executivo, que falava na cerimónia em que tomaram responsáveis do Banco Nacional de Angola, gestores das empresas públicas Ferrangol e Endiama, considerou a empresa do ramo dos diamantes uma das principais do sector produtivo do país.

Para o Presidente angolano, se bem gerida, a Endiama pode contribuir para o aumento de receitas para os cofres do Estado.

Recomendou a reavaliação da política de comercialização deste recurso, pela Empresa Nacional de Prospecção, Exploração, Lapidação e Comercialização de Diamantes de Angola.

João Lourenço acredita que, caso haja uma política de comercialização que seja justa e transparente, o país pode atrair investidores e desencorajar a pratica do garimpo.

Por isso, recomendou ao novo Conselho de Administração da Endiama a reanalisar a situação dos clientes preferenciais.

Afirmou que o dever do Estado é trabalhar no interesse da economia nacional para que, além do petróleo, os diamantes e outras riquezas do país possam também contribuir para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

No mesmo acto, orientado pelo Presidente da República, foram empossados os vice-governadores do Banco Nacional de Angola, membros dos conselhos de administração da Ferrangol, do BNA e a secretário adjunta do gabinete do Chefe de Estado angolano. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA