BPC prioriza saneamento da carteira de crédito

Ministro Archer Mangueira pediu a Fernando Heitor que ajude o BPC a ser mais forte (Fotografia: João Gomes | Edições Novembro)

O Banco de Poupança e Crédito (BPC) vai começar, em breve, a levar a cabo o processo de saneamento da sua carteira de crédito e a efectivar a redução dos custos operacionais, anunciou ontem o presidente do Conselho de Administração da instituição, Aristides Safeca.

Em declarações à imprensa, no Ministério das Finanças, à margem da tomada de posse de Fernando Heitor como administrador executivo, Aristides Safeca sublinhou que o programa de saneamento surge na sequência da revitalização do BPC.

O PCA daquele banco público anunciou, para breve, a concessão de créditos aos clientes, o que vai ter lugar tão logo esteja concluído o processo de saneamento da carteira de crédito. Sobre o crédito mal parado, prometeu fornecer dados num “momento próprio.” “A parte relacionada com a revitalização já ocorreu com o envolvimento dos accionistas. Agora, estamos na parte do saneamento de carteira de crédito”, disse.

O gestor, que foi empossado recentemente em substituição de Ricardo d’Abreu, que exerce as funções de secretário do Presidente para os Assuntos Económicos, disse que estão a ser igualmente implementadas medidas que visam aumentar a capacidade operacional do banco e que passam também por recuperar “o crédito que os clientes obtiveram sem que tenham feito o reembolso até agora.”

“Quanto ao crédito que os clientes do banco obtiveram e até agora não fizeram o reembolso, está-se agora no processo de apreciação e de
discussão com os credores para a sua recuperação, num processo de negociação que está a correr bem. No final, vamos fazer o balanço”, adiantou. Mas, por enquanto, salientou, a prioridade recai para o saneamento da carteira de crédito e a redução dos custos operacionais do banco.

“BPC tem tudo para dar certo”

O ministro das Finanças, Archer Mangueira, pediu à nova equipa do BPC para fazer frente aos “desafios enormes” que tem pela frente. A Fernando Heitor, pediu que ajude a equipa a vencer e a tornar a instituição mais forte, tal como se impõe no conjunto das instituições financeiras do país, numa altura em que se pretende cumprir com um programa robusto de consolidação do sistema financeiro angolano.

Por sua vez, o novo administrador executivo do BPC Fernando Heitor manifestou contentamento pelo desafio que tem em mãos e garantiu trabalhar com zelo e dedicação. “Espero vir a ser uma valência grande para equipa e que possamos ultrapassar os problemas que a banca pública e em particular o BPC atravessa actualmente”, frisou, deixando expresso o seu agradecimento ao novo Governo pela aposta.

Na visão do economista, o programa de saneamento e reestruturação já gizado tem tudo para dar certo, precisando apenas que as pessoas colocadas nos vários cargos tenham suficiente dedicação, lealdade patriótica e apresentem todo o seu saber para a concretização do programa. “Todos vamos ter que nos empenhar. A equipa é grande, bem escolhida e com competências muito fortes. Vou procurar fazer a minha parte com tudo que tenho de melhor”, prometeu.

Implementação do IVA
Ainda ontem, no Ministério das Finanças, depois da tomada de posse de Fernando Heitor, foi realizada uma reunião da equipa económica do Executivo com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

No termo da reunião, o chefe da Missão do FMI em Angola, Ricardo Velloso, reiterou a posição da instituição que sugere a introdução do IVA no país. “A sugestão da nossa parte é de que o IVA deveria ser introduzido há já algum tempo. Acho que é um ponto muito positivo que o Governo esteja a considerar a introdução deste imposto”, salientou. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA