Bié: Responsável reitera apelo ao registo de nascimento de menores

DELEGADO PROVINCIAL DA JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS, MATEUS BALANGA (FOTO: AURÉLIO SEGUNDA MOURINHO)

O delegado provincial da Justiça e Direitos Humanos no Bié, Mateus Balanga, reiterou, hoje (segunda-feira), no Cuito, o apelo aos pais e encarregados de educação, no sentido de registarem os filhos, sobretudo nas maternidades.

Ao falar à Angop sobre o registo de nascimento nas unidades sanitárias, Mateus Balanga frisou que a instituição depara-se com muitas dificuldades na atribuição do registo de nascimento gratuito, visto que os progenitores geralmente não têm um acordo do nome a atribuir ao recém-nascido.

“Muitos pais depois do nascimento do bebé não atribuem nome no momento, optam em fugir e nomear (dar o nome) depois de dois ou mais anos de idade, para identificar os possíveis traços do filho em relação ao pais ou aos avos”, alertou.

Recordou no entanto que no primeiro semestre de 2017, foram registados 15 mil e 470 cidadãos na província do Bié, no âmbito do processo de “Registo Gratuito”, mais quatro mil e 880 em relação ao período anterior.

Salientou que o registo de nacimento ainda realiza-se nas administrações municipais, em algumas comunas, maternidades e Centros Maternos Infantis. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA