Bianchi e Jovic estão optimistas para o jogo

Pormenor de um jogo entre Petro e 1º de Agosto (Foto: Henri Celso)

Os técnicos Roberto Bianchi, do Petro de Luanda, e Dragan Jovic, do 1º de Agosto, esperam naturalmente vencer o jogo da final da 36ª edição da Taça de Angola em futebol, mas o treinador da equipa militar revelou, ontem, em conferência de imprensa, que quer ganhar o terceiro título da época futebolística no país.

“Queremos fazer a dobradinha, e esperámos disputar um bom jogo. Estou optimista e espero terminar a época com mais um título. Os atletas estão motivados para o desafio, apesar de jogarmos com um grande adversário. Vamos fazer de tudo para ganhar a taça”, disse durante o encontro com os jornalistas nacionais, realizado no Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM), na baixa da capital, que começou com um pedido de desculpas do director de Comunicação, Marketing e Institucional da FAF, Ulisses de Jesus.

Como tem sido hábito, o encontro começou com atraso devido à ausência na sala de conferências dos elementos do 1º de Agosto, com realce para o seu vice-presidente, Paulo Magueijo.

Roberto Bianchi, técnico do Petro, felicitou o seu homologo Dragan Jovic, do 1º de Agosto pelo segundo título conquistado no Girabola Zap, mas espera certamente pelo triunfo. “Quero dar os meus parabéns ao treinador Dragan Jovic, pelo troféu do Campeonato Nacional. Temos outra oportunidade de ganhar a Taça de Angola. Vamos dar no duro para conseguir este título. Estamos preparados para o jogo. Vamos lutar pelo troféu”, declarou.

As equipas reeditam a final da 17ª edição da Taça de Angola, disputada em 1998, com triunfo dos tricolores sobre os militares, por 4-1, no Estádio Nacional da Cidadela, no distrito urbano do Rangel. Na abertura da época, o 1º de Agosto venceu, no mês de Fevereiro, o Recreativo do Libolo, por 1-0, no Estádio Municipal dos Coqueiros, para a Supertaça.

Durante a conferência de imprensa, Jeremias Simão, presidente do Conselho Técnico Desportivo da FAF, anunciou que começaram a ser vendidos ontem os 25 mil bilhetes para o jogo, pela empresa de Acções de Desenvolvimento de Futebol em Harmonia (ADFH). Os preços dos bilhetes variam dos 500 aos 5000 mil kwanzas, e estão a ser comercializados nas bilheteiras do local do desafio, Complexo da Cidadela, no distrito urbano do Rangel, Casa da Juventude de Viana, Estádio Municipal dos Coqueiros, Dibondo Comercial (município de Cacuaco), estabelecimentos no Zango e nos postos de venda Telo.

Sobre o desafio, Jeremias Simão disse que sábado, às 10h00, realiza-se a reunião técnica entre a equipa da arbitragem, os delegados ao jogo dos intervenientes, os capitães das equipas, elementos da Polícia Nacional e a organização.

Caso o jogo termine empatado, recorre-se a um prolongamento de 30 minutos, repartido em duas partes de 15 cada, e se persistir a igualdade a decisão é determinada na marcação de pontapés de grandes penalidades.

A FAF reúne-se amanhã, às 10h00, na sua sede social, na Urbanização Nova Vida, em Luanda, com os representantes do Petro, 1º de Agosto, chefes das claques dos dois clubes, responsáveis do Comando Provincial da Polícia de Luanda, Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Cruz Vermelha de Angola, Instituto Nacional de Emergências Médicas de Angola (INEMA),empresa ADFH e Miguel Xisto (director do Estádio Nacional 11 de Novembro).

Questionado sobre o caso do atleta Mário Rui de Abreu “Cabibi”, do Progresso da Lunda Sul, que causou desclassificação dos lundas no Girabola Zap, Jeremias Simão disse que não foi mandatado pela direcção da FAF para dar explicações sobre o assunto.
“Não somos a estrutura competente (Conselho Técnico Desportivo), para se pronunciar sobre o assunto, porque encontra-se num outro conselho da federação, que a seu tempo vai falar sobre a questão”, concluiu. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA