Angola e Cabo Verde melhoram ambiente de negócios

(Voa)

Angola e Cabo Verde subiram duas posições no índice “Doing Business 2018” divulgado nesta quarta-feira, 1, pelo Banco Mundial.

Aqueles dois países integram as economias da África Subsaariana que puseram em prática reformas importantes neste domínio no último ano.

O relatório “Doing Business 2018: Reformar para Gerar Empregos”, que analisa o ambiente em negócios em todo o mundo, indica que Angola ocupa agora o 175º. lugar, depois de no ano passado ter ficado na posição 182, enquanto Cabo Verde subiu dois lugares, na 127ª. posição, a melhor entre os países lusófonos em África.

Angola registou melhorias na atribuição de licenças de construção, acesso à eletricidade e no comércio internacional, principalmente devido às obras realizados no Porto de Luanda.

Por seu lado, o ambiente de negócios em Cabo Verde melhorou com introdução da resolução de insolvências, mais comércio internacional e a obtenção de alvarás de construção.

Apesar de ter melhorado alguns aspectos, Moçambique desceu uma posição no índice, ocupando agora a 138ª.

São Tomé e Príncipe também caiu da 162a. para a 169ª., enquanto a Guiné-Bissau passou do lugar 172 para o 176.

Refira-se que Portugal e Brasil também desceram no índice de ambiente de negócios, liderado pela Nova Zelândia, seguida por Singapura, Dinamarca, Coreia do Sul e Hong Kong.

Os Estados Unidos subiram do 8º para o 6º lugar, a China aumentou quatro posições, do 78º lugar para o 74º e a Índia avançou 30 lugares, para a 100ª posição.

O relatório anual “Doing Business” mede o impacto das leis e regulações e da burocracia no funcionamento das empresas.

Entre os itens avaliados estão o número de dias gastos na abertura de empresas, no pagamento de impostos, na obtenção de alvarás de construção, na ligação à rede eléctrica, registo de uma propriedade, obtenção de crédito, execução de contratos e resolução de insolvência. (Voa)

DEIXE UMA RESPOSTA