Angola comprou 24 blindados à África do Sul por 5,8 milhões USD

Moxico: Efectivos das Forças Armadas Angolanas (FAA) (Foto: Angop)

O Estado angolano adquiriu, em 2016, 24 veículos blindados de transporte de pessoal à África do Sul por 85 milhões de rands, valor correspondente a cerca 5,8 milhões de dólares, indica o relatório anual do Comité para Controlo de Armas Convencionais da África do Sul.

As exportações da indústria da Defesa da África do Sul tiveram como destino 88 países em 2016, que movimentaram contratos de cerca de 4,1 mil milhões de rands, indica o mais recente relatório do comité sul-africano para Controlo de Armas Convencionais (NCACC na sigla inglesa).

Segundo o documento, noticiado pelo site DefenceWeb, Angola foi um dos 88 países que negociou com a África do Sul, tendo adquirido 24 blindados por 85 milhões de rands, equivalentes a cerca de 5,8 milhões de dólares.

O valor da encomenda angolana dos denominados APC – veículos blindados de transporte de pessoal – foi o mais avultado proveniente de África, tendo apenas sido ultrapassado por países do Médio Oriente.

Nomeadamente: Arábia Saudita (30 veículos por 290 milhões de rands, cerca de 20 milhões de dólares), Jordânia (14 veículos por 235 milhões de rands, cerca de 16,3 milhões de dólares) e Iraque (10 veículos por 94 milhões de rands, cerca de 6,5 milhões de dólares).

A estes valores junta-se ainda a aquisição de 89 blindados pelos Emirados Árabes Unidos, num contrato de 520 milhões de rands – equivalentes a cerca de 36 milhões de dólares – valor negociado no final do ano passado mas que não foi agregado no relatório anual, aponta o DefenceWeb.

Angola é a 6.ª potência militar de África

Os números do NCACC indicam ainda que as exportações da indústria da Defesa da África do Sul aumentaram 1,4 mil milhões de rands de 2015 para 2016, totalizando o equivalente a 284,7 milhões de dólares.

Para além dos blindados, as vendas da África do Sul no domínio da Defesa, que no ano passado movimentaram 2.913 licenças de exportação, incluem, entre outros bens, morteiros, mísseis, munições e software.

Angola surge apenas como compradora de blindados, meios que “pesam” na classificação do país como a 6.ª potência militar de África e a 51.ª a nível mundial, aferida pelo Global Power Index – Índice do Poder Global -, que na edição de 2017 analisou a capacidade militar de 133 países, incluindo 33 africanos.

Segundo esta classificação – que exclui indicadores nucleares, baseando-se apenas em variáveis transversais a estados grandes e pequenos -, apenas cinco estados africanos ultrapassam Angola em matéria de poderio militar das Forças Armadas. São eles o Egipto, a Argélia, a Etiópia, a Nigéria e a África do Sul, que, globalmente, ocupam os lugares 10, 25, 41, 43 e 46 da lista, respectivamente.

Ainda de acordo com o Global Power Index, Angola tem gastos em Defesa avaliados em 4,1 mil milhões de dólares, um contingente de 107 mil homens no activo e 68.500 na reserva, e uma panóplia de meios que inclui tanques e helicópteros de combate. (Novo Jornal Online)

DEIXE UMA RESPOSTA