Ancião de 136 anos clama por ajuda

Chumbo Cala (Xumbu Kala) é o nome do cidadão angolano que conta com cerca de 136 anos de idade e vive no Bairro Quibelenguenze (DR)

Chumbo Cala (Xumbu Kala) é o nome do cidadão angolano que conta com cerca de 136 anos de idade e vive no Bairro Quibelenguenze (Kibelengenze), na Aldeia Nova, Município da Banga, Província do Kwanza Norte. Pela idade é considerado, pelos vizinhos e distintos visitantes, como um dos mais velhos do mundo. É tido como uma biblioteca viva e tem contribuído diariamente, com o seu saber, nos dados históricos do país, para qualquer cidadão que solicita o seu apoio nesse sentido, entre alunos, professores e até mesmo alguns dirigentes municipais e comunais.

Uma equipa do Manchete deslocou-se até ao seu local de residência e constatou que o mais velho vive em condições precárias e necessita do apoio da sociedade, pois o seu sustento depende da solidariedade dos vizinhos que também vivem em condições difíceis.
Chumbu Cala disse não ter tido filhos devido aos problemas de saúde provocados pela escravatura de que foi alvo nos idos anos de 1895, aos catorze anos de idade até que se juntou com sua mulher em 1907 aos 26 anos de idade.

CONDIÇÕES DA VIA DE ACESSO AO BAIRRO QUIBELENGUENZE

O Município da Banga dista a cerca de 160 quilómetros da cidade de Ndatalando, Capital da Província do Kwanza Norte e o bairro Quibelenguenze, aonde vive o idoso, encontra-se há 20 quilómetros da sede municipal. A via de acesso está em péssimas condições de transitabilidade, quer em tempo seco, quer em tempo chuvoso. As obras levadas a cabo pelo Governo Provincial do Kwanza Norte, no que a terraplanagem diz respeito, não atinge as aldeias, limitam-se nas sedes dos municípios.

Questionado sobre o estado das vias, o mais velho disse que antigamente eles construíam as estradas com enxadas, catanas, paus e outros instrumentos simples e duravam muitos anos. Está admirado com o tipo de obras que são feitas nos últimos tempos, utilizando máquinas modernas e menos tempo de trabalho e esforço, mas as mesmas duram pouco tempo, “acho que não há boa vontade por parte de quem está a executar as obras que não duram nada”, disse.

Seus conselhos de longevidade

Aos jovens, ele diz que não é fácil chegar nesta idade, é necessário respeitar os outros, não consumir bebidas alcoólicas em excesso, não cobiçar a mulher do outro, ser humilde, não exagerar em tudo que fizemos na vida. As pessoas não devem fazer mal aos outros para se beneficiar ou mesmo para se enriquecer.

MILITÂNCIA PARTIDÁRIA

Chumbo Cala integrou um dos grupos que recebeu o Dr. António Agostinho Neto, na altura como médico, na abertura da primeira campanha de vacinação de “pendaminina”, nos anos 40, uma vacina que prevenia a doença de “gânglio”, que se manifesta com inflamação nas periferias da garganta. O mais idoso de que fazemos referência, diz-se militante do partido MPLA desde a sua fundação e não pretende abandonar o partido por nada neste mundo, considerando a mudança de partido, uma promiscuidade política, apenas apela aos dirigentes para trabalharem para o povo, sem distinção de filiação partidária, porque “nem todos que votaram no MPLA, são do partido, por isso é bom que respeitem o povo”. Por outro lado, o idoso solicita a sociedade que o ajudem para que consiga passar os seus últimos dias em boas condições de vida. “Eu contribuí muito para este país, desde o tempo colonial e continuo a contribuir neste tempo porque aqui vem gente de outros municípios me perguntar sobre o segredo de viver muito tempo e eu explico”… rematou.

O mais velho dá os seus parabéns a João Lourenço, pela sua eleição como Presidente da República e pede a ele que governe o povo sem distinção de filiação partidária porque todos nós somos angolanos e demos o nosso contributo na construção da nação. “fui escravo no tempo colonial, sou antigo combatente, mas não recebo na Caixa Social e mesmo assim não abandonarei o partido MPLA, concluiu”.

SOLICITAÇÃO DE APOIO

O idoso solicita que lhe seja dado apoio de, entre outros, alimentação, cadeira de roda por não mais poder andar à vontade e também porque tem os pés inflamados devido a má nutrição. Pretende acompanhar as notícias do país e do mundo, por este facto, deseja um televisor com antena bem como um gerador que lhe facilite ligar o referido televisor.

DEPOIMENTO DE TESTEMUNHAS

A primeira testemunha no local, o soba Domingos Caludica disse ao Manchete que a situação do mais velho Chumbo Cala é preocupante porque ao mais velho, falta quase tudo e pede as autoridades comunal e municipal no sentido de dar maior atenção a esta biblioteca que aos poucos vai se debilitando.

Outra testemunha, as senhoras Teresa Bianda e Joana Bambi disseram; “temos feito alguma coisa para darmos de comer e de beber e também fazer alguma limpeza em casa em favor deste grande homem, mas não tem sido suficiente porque na nossa aldeia há falta de tudo um pouco por não termos estradas em condições. Para termos o que necessitamos percorremos grandes distâncias a pé para comprar arroz, açúcar, sal, sabão e óleo. Isso que nós compramos é para nós e não chega, mas temos que dividir um pouco com o velho Chumbo Cala”, acrescentaram que “pedimos que as pessoas de boa fé nos ajudem a mantermos o mais velho por mais anos de vida, ele tem sido o nosso conselheiro aqui em Quibelenguenze” remataram. (Jornal Manchete)

por Manuel Ngongo & Aristides Zua (K.N)

1 COMENTÁRIO

  1. É gratificante a presença do mais velho (Chumbo Cala), agradecemos imenso pelos contributos que deste e continuas a dar em prol da unidade Nacional.
    em nome do Senhor, terás o que precisas, basta crer e ter fé.. dou-te meu apoio moral por ser umas das únicas coisas eclesiástica que tenho e carrego.

DEIXE UMA RESPOSTA