Hospitais do Bengo sem medicamentos

Bengo - Hospital municipal Nambuangongo (DR)

A província do Bengo regista ruptura do stock de medicamentos para atender a demanda, informou hoje, quinta-feira, o director do Gabinete Provincial da Saúde do Bengo, João das Necessidades, em declarações à Angop à margem da cerimônia de empossamento do novo elenco governativo.

O responsável do sector da saúde frisou a necessidade de o sistema nacional de saúde funcionar, principalmente, com medicamentos essenciais, para atender os doentes internados, para além de outros que necessitem destes fármacos.

“Não estamos bem em termos de stock de medicamentos, pois há uma ruptura muito grande”, alertou o responsável.

Para resolver esta situação, o governador do Bengo, João Bernardo de Miranda, orientou ao Gabinete Provincial da Saúde do Bengo para apresentar, no prazo de oito dias, um plano de acção para estancar, de maneira radical, o furto de medicamentos nas instituições hospitalares, assim como a cobrança ilegal dos serviços prestados aos cidadãos.

Para o efeito, sublinha o governante, será necessário o aperfeiçoamento da cadeia de complementariedade institucional (Polícia e Tribunais) que, por seu turno, também devem estar despidos de práticas erradas.

João das Necessidades disse que acolheu a orientação com muita satisfação e fará um plano estratégico de humanização para estancar as práticas menos boas no sector.

João das Necessidades disse ser preciso mais divulgação, nos meios de comunicação da província, sobretudo em línguas nacionais, a colaboração da população na denúncia de eventuais práticas, como o açambarcamento, roubo, furto e venda ilegal de fármacos. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA