UNITA quer impugnação dos resultados eleitorais

Mandatário da UNITA, José Pedro Cachiungo (Foto: Francisco Miudo)

“Há problemas dentro da CNE que o senhor presidente não falou”, denuncia o mandatário Estêvão Cachiungo,
O segundo partido mais votado nas eleições angolanas do dia 23 de Agosto, UNITA, anunciou que vai recorrer ao Tribunal Constitucional (TC) contra os resultados definitivos que deram a vitória ao MPLA e a João Lourenço.

Em declarações aos jornalistas nesta quarta-feira, 6, após a divulgação dos resultados pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE), o mandatário da UNITA Estevão Cachiungo adiantou que o partido vai “pedir ao tribunal a impugnação, estamos dentro da lei, estamos serenos, calmos” e defendeu a necessidade de que os processos electivos angolanos sejam feitos “de acordo com a lei, sejam transparentes”.

Cachiungo revelou que a acta dos resultados nacionais definitivos não foi assinada por todos os comissários nacionais eleitorais, nomeadamente dos partidos da oposição que não se fizeram presentes na cerimónia de divulgação dos resultados definitivos.

“Há problemas dentro da CNE que o senhor presidente não falou”, continuou Estêvão Cachiungo, que afirmou não perceber “por que é que a CNE faz um exercício de tanta responsabilidade e oculta o que de facto está a acontecer”.

Resultados

De acordo com os resutlados definitivos, João Lourenço e Bornito de Sousa serão os próximos Presidente e vice-presidente de Angola.

A nível dos partidos, o MPLA obteve 61.07 por cento dos votos.

A UNITA é a segunda força política mais votada, com 26,67% dos votos, seguida da CASA-CE, com 9,44% dos votos, PRS, com 1,35 %, FNLA, com 0,93% e APN, com 0,51%.

O actual partido no poder conquistou 150 deputados, a UNITA 51, a CASA-CE 16, o PRS 2 e a FNLA apenas um.

A abstenção situou-se em 23,87 por cento, houve 2, 43 por cento de votos em branco e 1, 44 por cento de votos nulos (VOA)

DEIXE UMA RESPOSTA