Secretário de Estado reconhece valências do Centro de Segurança Pública

Secretário de Estado do Interior, Hermenegildo Felix (2º a direita), reúne com membros do grupo técnico do CISP (FOTO: CORTESIA DE: EDIÇÕES NOVEMBRO)

A implementação do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) vai responder, não só questões ligadas à segurança, mas também outras necessidades em função da especificidade da actividade de cada órgão inserido no mesmo, reconheceu hoje, terça-feira, nessa cidade, o secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico, Hermenegildo José Félix.

Em declarações aos jornalistas, pouco depois de um encontro de cerca de uma hora com membros do grupo técnico do CISP, o responsável admitiu ser o mesmo um “grande ganho”, porque tem uma extensão, de facto, da actividade policial, no concernente a segurança pública.

Instado sobre o encontro, ressaltou que o ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, nomeou-os para supervisionar as actividades do grupo técnico, que tem a responsabilidade de acompanhar, de perto, a actividade de construção dos edifícios, dos sistemas e de todas infraestruturas ligadas ao CISP.

“A avaliação é positiva, tendo em conta que a pedra foi lançada pela sua excelência Presidente da República, José Eduardo dos Santos, no dia 15 de Agosto do ano em curso”, precisou, ressaltando terem um pequeno Centro Piloto, onde os técnicos estão a ser preparados.

Pelo que me foi dado a ver, reconheceu, “a avaliação é positiva e a formação dos técnicos que vieram da China responde as expectativas”.

Por seu turno, o director do Centro Piloto do CISP, superintendente-chefe José Filipe da Silva, informou que, dos 103 técnicos formados, foram seleccionados sete monitores que estão a ajudar na formação de outros efectivos.

Salientou que, até agora, não têm nenhuma dificuldade, porquanto tem havido uma boa adaptação com a nova plataforma, por parte dos profissionais.

A infraestrutura, a ser erguida em 24 meses numa área de cerca de oito mil metros quadrados, será composto por uma unidade nacional e 16 centros provinciais.

Está situada nas actuais instalações da UPIP (Unidade de Protecção de Individualidades Protocolares), rua Ho Chi Mi, nas imediações da Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA