Presidente da República Eleito felicitado por vários estadistas

Presidente da República Eleito, João Lourenço (Foto: Pedro Parente)

Estadistas internacionacionais continuam a enviar mensagens de felicitações ao MPLA e ao Presidente eleito, João Lourenço. Ontem, o Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, felicitou, em nome do Governo, do povo chinês e do seu próprio, o Presidente Eleito da República de Angola.

Numa mensagem, datada de 7 de Setembro, Xi Jinping refere que Angola é um parceiro estratégico importante da China em África e os dois países mantêm alta confiança política mútua e uma cooperação que lidera nas relações sino-africanas em vários domínios.

Xi Jinping salientou ainda que tem atribuído alta importância ao desenvolvimento das relações sino-angolanas e que está disposto a envidar esforços com o novo Presidente angolano para conquistar mais frutos da parceria estratégica China-Angola, beneficiando ainda mais os dois países e os dois povos.

Angola e a China rubricaram em Junho último, em Luanda, um acordo para o perdão parcial da dívida angolana, na sequência da visita de quatro dias efectuada pelo conselheiro de Estado do Conselho da República Popular da China, Wang Yong.

O Chefe do Estado de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, também felicitou João Lourenço pela sua eleição como Presidente da República de Angola, manifestando o desejo de trabalho conjunto entre dois países \”amantes da liberdade e da paz”.

“No momento em que acaba de ser eleito Presidente da República de Angola, país com o qual Cabo Verde mantém fortes laços históricos, de amizade e de cooperação, gostaria de, em primeiro lugar, felicitar Vossa Excelência pela sua vitória”, escreveu Jorge Carlos Fonseca, em carta enviada ao homólogo e divulgada pela Presidência.

“Aproveito esta ocasião para reiterar o meu firme propósito e desejo de poder trabalhar com Vossa Excelência, para o fortalecimento das nossas relações no plano bilateral, da CPLP e no quadro multilateral, como países e povos amantes da liberdade e da paz”, acrescentou Jorge Carlos Fonseca. Ainda ontem, num comunicado, a Casa Civil do Presidente da República sublinhou que o Presidente Eleito de Angola, João Lourenço, recebeu mensagens de felicitações de vários países do mundo, na sequência da sua vitória nas eleições gerais de 23 de Agosto.

Entre as mensagens, destaca-se as dos presidentes do Brasil, Michel Temer, Camarões, Paul Biya, Guiné-Bissau, José Mário Vaz, e do Botswana, Ian Khama Seretse Khama.

Nas missivas, os Chefes de Estado manifestam a sua disposição de trabalharem no sentido do fortalecimento da cooperação, ampliação da amizade fraterna dos países e da prosperidade e progresso entre os respectivos povos.
João Lourenço foi confirmado quarta-feira Presidente da República, com a divulgação dos resultados finais das eleições gerais de 23 de Agosto.

Reconhecimento

O representante permanente de Angola nas Nações Unidas, Ismael Martins, considerou ontem, em Luanda, que a comunidade internacional vai continuar a olhar para Angola como um país de referência e parceiro para resolver os grandes problemas mundiais.

Segundo o diplomata, que falava à imprensa em reacção à vitória, João Lourenço é a pessoa certa para fazer face aos desafios que o MPLA vai enfrentar e está bem situado para dirigir o alcance da paz no Mundo e dos problemas económicos, políticos e, sobretudo, da estabilidade em África.

Reacções de políticos
Por sua vez, o membro do bureau político do MPLA, Roberto de Almeida, disse que a vitória do partido vem dar a certeza de que este é uma organização político-partidária “enraizada no povo\” e sabe o que quer para o bem de Angola.

Segundo o político, o povo sabe que foi o MPLA que se bateu pela independência e contra as tropas do então regime de apartheid sul-africano, reconstruiu o país destruído pela guerra e reconciliou os angolanos, daí ter apostado, uma vez mais, nele.

Aos concorrentes vencidos, Roberto de Almeida afirmou que, acima da sua vitória ou da derrota da oposição, está o povo angolano e que devem continuar a trabalhar, com mais organização e persistência, para conquistarem os próximos pleitos.

O secretário do MPLA para os assuntos políticos e eleitorais, João Martins, considerou que a vitória do seu partido foi conseguida numa conjuntura adversa por vários factores.

João Martins reconheceu que os resultados obtidos aconselham que o partido deve melhorar os métodos de trabalhar para “melhorar o que está bem e corrigir o que está mal”, com vista a proporcionar o bem-estar ao povo angolano.

Dados do Presidente da República Eleito

O Presidente Eleito de Angola, João Lourenço, tem 63 anos, é Mestre em Ciências Históricas e general de três estrelas na reserva. Casado com a economista Ana Dias Lourenço, antiga ministra do Planeamento, e pai de seis filhos, nasceu no município do Lobito, província de Benguela, em 5 de Março de 1954.

Membro do Bureau Político do MPLA, João Lourenço foi nomeado ministro da Defesa Nacional em 2015, e eleito para o cargo de vice-presidente do partido na sequência do seu VII Congresso Ordinário, realizado em Luanda, de 17 a 20 de Agosto de 2016. Na terceira reunião ordinária do Comité Central do MPLA, realizada a 3 de Fevereiro de 2017, em Luanda, João Lourenço foi indicado candidato do partido a Presidente da República. O Presidente eleito de Angola participou na primeira e segunda Guerra de Libertação Nacional, na segunda Região Político Militar, tendo desempenhado o cargo de chefe da Direcção Política Nacional das ex-FAPLA (Forças Armadas Populares de Libertação de Angola).

Posteriormente, exerceu as funções de 1.º secretário provincial do MPLA e de comissário (governador) das províncias do Moxico e de Benguela, respectivamente, de secretário para a Informação e Propaganda do MPLA, e posteriormente de secretário-geral do partido. Foi presidente da Comissão Constitucional da Assembleia Nacional, presidente da Comissão Constitucional, membro da Comissão Permanente, presidente do Grupo Parlamentar do MPLA e 1.º vice-presidente da Assembleia Nacional.

João Lourenço é filho de Sequeira João Lourenço, enfermeiro, nacionalista da clandestinidade e prisioneiro político, natural de Malanje, e de Josefa Gonçalves Cipriano Lourenço, costureira, natural do Namibe, ambos já falecidos. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA