PR da Guiné-Bissau considera que com a agricultura nem será preciso tocar nos recursos naturais do país

José Mário Vaz (DR)

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, considerou que, com o potencial agrícola, nem será preciso tocar nos recursos naturais do país que poderá ser “uma grande nação”, se todos colocarem a “mão na lama”.

José Mário Vaz tem visitado bolanhas (arrozais) em diferentes zonas do interior do país e em declarações durante o fim de semana, perante os camponeses do sul, hoje transmitidas nas rádios de Bissau, afirmou que o potencial agrícola da Guiné-Bissau o deixa satisfeito.

“Estou contente com aquilo que tenho visto. Mais uma vez posso dizer que não precisamos de explorar os nossos recursos naturais, não precisamos de explorar nem o nosso bauxite, nem o nosso fosfato, muito menos o nosso petróleo”, declarou o líder guineense.

Para José Mário Vaz, os guineenses “têm todas as condições” de viverem bem sem explorar os recursos naturais por serem 1,5 milhões de habitantes num território com 36 mil quilómetros quadrados.

“O importante é que haja entendimento entre os guineenses como dizia o fundador da nossa nacionalidade Amílcar Cabral”, afirmou José Mário Vaz, pedindo aos políticos que cessem as desavenças e se concentrarem no trabalho.

Já hoje, antes de viajar para a República do Congo, em declarações aos jornalistas no aeroporto, o Presidente guineense salientou a necessidade de se “atacar seriamente o sector agrícola” do país, porque só assim haverá crescimento económico e desenvolvimento. (Diário de Notícias)

por Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA