PJ Militar ainda não tem pistas das armas roubadas em Tancos

Tancos (Foto :JAIME FIGUEIREDO)

Passado mais de dois meses do furto de armamento nos Paióis de Tancos, a Polícia Judiciária Militar (PJM) ainda não tem elementos que lhe permitam saber onde se encontra o material, avança o “Público” esta sexta-feira.

Fonte militar disse ao matutino que “o mais provável” é que o armamento roubado – granadas, munições e explosivos – “já tenha saído” do país. Caso isto se venha a confirmar, será muito difícil concretizar uma acusação por furto, lembrou a mesma fonte militar.

Em todo o caso, poderá existir uma acusação por insubordinação por desobediência, ou outro crime do mesmo tipo, se for provada alguma falha na vigilância.

Ainda na segunda-feira, Marcelo Rebelo de Sousa disse estar preocupado com o tempo do apuramento dos factos no caso do furto de Tancos. “Não só é importante apurar factos e eventuais responsabilidades, como apurar num tempo que seja um tempo o mais curto possível, por um lado, para o prestígio da instituição militar, e por outro lado também para a própria actuação interna da instituição militar”, disse. (Jornal Expresso)

DEIXE UMA RESPOSTA