Os “actos de corrupção” de João Lourenço, segundo Isaías Samakuva

João Lourenço (Foto: Quintiliano dos Santos)

O combate à corrupção em Angola, lançado por João Lourenço como uma das principais bandeiras do seu programa de Governo, não tem pernas para andar, considera o presidente da UNITA, que acusa o político de ter protagonizado “actos de corrupção” durante a campanha eleitoral.

Isaías Samakuva não acredita que João Lourenço – apontado como futuro Presidente da República de Angola pelos resultados provisórios das eleições gerais de 23 de Agosto -, seja capaz de lutar contra a corrupção, conforme declararou durante a campanha eleitoral.

“Há interesses fortemente instalados no país” que, no entender do líder da UNITA, inviabilizam que o cabeça-de-lista do MPLA no último pleito cumpra a sua promessa.

Para além de duvidar dos planos de João Lourenço, Samakuva defende, em entrevista à revista francesa Le Point, que não é possível “atacar a corrupção” e, “ao mesmo tempo”, protagonizar “actos de corrupção”.

“Durante a campanha eleitoral, que João Lourenço conduziu sob o tema da luta contra a corrupção, ele exibia, no final dos seus discursos, actos de corrupção”, declarou o líder do “Galo Negro”, referindo-se a ofertas que o candidato do MPLA ia entregando à população.

“João Lourenço distribuía frigoríficos, carros e outros bens às autoridades tradicionais. É uma forma de corrupção”, sublinha Samakuva. (Novo Jornal Online)

DEIXE UMA RESPOSTA