Ministério Público abre inquérito formal contra André Ventura

Candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura (DR)

Apesar da polémica gerada em torno das declarações sobre a comunidade cigana, o candidato à autarquia de Loures afirma não “retirar uma vírgula” ao que disse. André Ventura será ouvido no próximo dia 19, quando faltarem apenas onze dias para as eleições autárquicas.

O Ministério Público (MP) abriu um inquérito formal contra o candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, por incitamento ao racismo e xenofobia nas polémicas declarações que fez sobre a comunidade cigana. O candidato à autarquia de Loures será ouvido no próximo dia 19, quando faltarem apenas onze dias para as eleições autárquicas.

A decisão da Procuradoria-Geral da República (PGR) surge no seguimento de uma queixa-crime apresentada em julho pelo Bloco de Esquerda contra o candidato social-democrata pelas suas declarações “racistas e xenófobas para com a comunidade cigana”, em entrevista ao jornal i. Os bloquistas consideram que as palavras de André Ventura “não só difamam as pessoas de etnia cigana, dizendo que estas são beneficiadas, como incita explicitamente à discriminação destas pessoas”.

Ao jornal i, André Ventura diz estar “surpreendido” com a decisão do tribunal e afirma não “retirar uma vírgula” ao que disse. “Fiquei surpreendido com a decisão de instaurar um inquérito sobre algo que é evidente estar no domínio da liberdade de expressão e opinião, fundamentais à nossa democracia”, sustenta. “Independente dos processos que me movam, não retiro uma vírgula àquilo que disse relativamente à comunidade cigana”.

O candidato do PSD diz ainda que “confia plenamente na justiça e nos magistrados” e que a “decisão final deste processo será justa e de acordo com a liberdade que conquistámos a 25 de Abril de 1974”. (Jornal Económico)

DEIXE UMA RESPOSTA