Marinha dá segurança às instituições públicas

Comandante da Região Naval Sul apela à disciplina e organização dos efectivos (Foto: Jesus Silva | Edições Novembro-Lobito)

O comandante da Região Naval Sul apelou, ontem, no Lobito, à disciplina, ordem, rigor e organização das tarefas e missões, para garantir a integridade, inviolabilidade do território sob sua jurisdição e o funcionamento normal das instituições democraticamente eleitas.

Ao discursar na abertura do período de preparação combativa, o contra-almirante João Pedro da Cunha Júnior afirmou que o foco recai para a melhoria das habilidades e funcionamento das tropas, fortalecimento da organização, coesão do efectivo, elevação da disciplina, melhoramento da preparação e administração das aulas, bem como a realização de treinos e exercícios.

Com sede no município do Lobito, a Região Naval Sul, afecta à Marinha de Guerra Angolana integra as províncias de Benguela, Cuanza-Sul e Namibe. Para este ano, o período de preparação combativa tem como especial atenção o aperfeiçoamento dos métodos para melhor orientação e condução do efectivo nas diferentes situações.

Empenho na Região Norte

Na Região Militar Norte, que integra as províncias de Malange, Cuanza-Norte, Bengo e Zaire, o período de preparação operativa, combativa e de educação patriótica, iniciou ontem com o foco no reforço do sistema de segurança e vigilância das localidades.

O comandante da Região, tenente general David Manuel Cavanda, lembrou que a tropa deve estar sempre preparada para que os inimigos da paz não perturbem a ordem e a tranquilidade no seio das famílias.

A preparação constitui uma das mais importantes tarefas desenvolvidas pelos militares, no âmbito do sistema de instrução de aperfeiçoamento das tropas da região que faz fronteira com a República Democrática do Congo (RDC).

David Manuel Cavanda David afirmou que, para este período, foram agendadas muitas tarefas e pediu engajamento à tropa para alcançar os objectivos preconizados. O comandante esclareceu, igualmente, que a soberania e integridade militar defende-se com Forças Armadas firmes e prontas do ponto de vista de organização, capacidade e habilidade no domínio da técnica de armamento e da arte militar.

“A prontidão do militar é posta permanentemente à prova”, lembrou, para acrescentar que o êxito das tarefas dependem do melhoramento da disciplina militar e da organização do sistema de controlo de direcção das tropas.
Entre as principais tarefas, o comandante apontou a elevação da capacidade combativa, educativa e patriótica da tropa, aumento da estabilidade psicológica e moral e atenção especial à organização, manutenção, conservação e controlo do armamento, do património e de todos os bens colocados à disposição do efectivo.

Na Huíla, o comandante da Região Militar Sul, tenente-general Nicolau Puna, apontou como prioridade a preparação permanente da tropa, do ponto de vista operativo, combativo , educativo e patriótico.

O oficial-general discursou na abertura do II período do ano de instrução 2017-2018, que serve para elevar a capacidade e prontidão combativa, disciplinar e organizativa dos militares das Forças Armadas Angolanas. “É na instrução permanente que o militar cria o auto domínio e confiança que o torna motivado para o cumprimento do dever”, disse, para acrescentar: “temos consciência de que enfrentaremos novos desafios, mas que com sabedoria, inteligência e dedicação, saberemos cumprir e ultrapassar as possíveis dificuldades”.

O comandante da Região Militar Sul exortou os oficiais-generais, oficiais superiores, capitães, subalternos, sargentos e praças a empenharem-se no cumprimento dos programas agendados. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA