Explosão no metro de Londres deixa pelo menos 22 feridos

(Reuters)

O mayor de Londres, Sadiq Khan, afirmou que está em curso “uma caça ao homem” no sentido de descobrir os responsáveis pelo ataque desta manhã na estação de metro de Parsons Green, em Londres.

Em declarações à rádio LBC, o mayor não especificou, contudo, se já há algum suspeito identificado. Reiterou apenas que “os responsáveis vão ser apanhados”.

O comissário da Scotland Yard, Mark Rowley, recusou dar mais informações relativamente a suspeitos identificados mas confirmou que, até ao momento, não foram feitas quaisquer detenções. “Até agora, não fizemos detenções. Acreditamos que o incêndio foi causado pela detonação de um engenho improvisado, que está a ser examinado”, afirmou Rowley, citado pelo The Guardian.

A Sky News avança com a informação de que o engenho, que estava num saco com um balde dentro, teria um temporizador incorporado. A explosão terá sido apenas parcial, sendo que os danos poderiam ter sido muito maiores.

Neste momento, as autoridades britânicas estão a analisar as imagens de videovigilância captadas durante a manhã. Nesse sentido, solicitaram que as pessoas que tenham imagens ou vídeos captados na zona as enviem de imediato. O caso está a ser tratado como ato terrorista.

A investigação está a ser conduzida pelas forças anti-terrorismo da Scotland Yard, pelo MI5 e por outras forças policiais. Entretanto, Theresa May reúne-se com o comité de emergência Cobra, onde estará a ser discutido o ataque desta manhã.

O incidente desta manhã causou pelo menos 22 feridos, sendo ainda incerto se entre os mesmos existem feridos graves. A primeira informação, avançada pelos serviços de emergência, dava conta de 18 feridos levados para o hospital, número que foi, entretanto, revisto em alta para 22. Segundo a AP, existem nove pessoas em risco de vida.

Depois de Theresa May e Sadiq Khan, seguiram-se uma série de vozes a demonstrar a solidariedade com as vítimas do ataque. Por seu lado, Donald Trump, depois de afirmar que o ataque foi perpetrado por “terroristas falhados”, insinuou que os eventuais responsáveis seriam conhecidos da Scotland Yard, informação que as autoridades desmentiram, considerando “pura especulação”. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA