EMIS esclarece levantamentos “duplicados” no Multicaixa, e admite notas encravadas

Multicaixa (Foto: Diniz Simão)

A Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), que gere o sistema Multicaixa, admite a existência de discrepâncias nos extractos bancários dos utilizadores da rede em relação a movimentos realizados à noite e aos fins-de-semana, situação que, esclarece, se deve ao encerramento dos sistemas informáticos de alguns bancos, para fecho contabilístico e manutenção.

Através de um comunicado distribuído no final desta semana, a EMIS reconhece que o sistema Multicaixa apresenta “alguns problemas”, que diz serem próprios da sua “dimensão e complexidade”, mas assegura que está garantida a “integridade total dos movimentos legítimos feitos pelos titulares do cartão, a qualquer hora do dia ou da noite, esteja o seu banco online ou offline”.

O esclarecimento da empresa surge na sequência de notícias sobre a alegada duplicação das operações efectuadas à noite e ao fim-de-semana.

Apesar de reconhecer discrepâncias entre os movimentos efectuados e os extractos bancários, a EMIS explica que isso se deve ao facto de muitos dos bancos que integram o sistema Multicaixa terem ainda a “necessidade de encerrar os seus sistemas informáticos no final do dia e nos finais de semana para fecho contabilístico e acções de manutenção”.

Segundo o comunicado, ao qual o Novo Jornal Online teve acesso, “nessas condições, para que possa ser garantida a continuidade de serviço aos titulares dos respectivos cartões, é a EMIS, na qualidade de processadora central, que autoriza as operações em lugar do banco, operações que só são reflectidas no sistema do banco quando este volta a estar online”.

O resultado, prossegue a nota, é que esses bancos só integram os movimentos de sexta, sábado e domingo na segunda-feira seguinte, com a data-valor deste dia, o que gera confusão junto dos clientes.

Noutras ocasiões, “um levantamento é feito com autorização dada pelo banco e fica logo reflectido no sistema bancário, e outro levantamento da mesma importância é autorizado pela EMIS, porque, entretanto, o banco ficou offline. Este último movimento vai aparecer no extracto bancário com data-valor diferente do primeiro”, assinala a EMIS.

A empresa acrescenta que está “a trabalhar com os bancos no sentido de uniformizar a forma de apresentação das datas-valor e datas-movimento por forma evitar este tipo de confusão”, salientando que, apesar destas anomalias, “o sistema Multicaixa não rouba às famílias aos fins-de-semana, nem em qualquer outra altura ou circunstância”.

Para além das falhas do sistema, a EMIS reconhece algumas anomalias nos equipamentos “sobretudo quando colocados em zonas muito poeirentas”.

De acordo com o comunicado, “acontece também que por vezes a qualidades das próprias notas não é a melhor, o que origina o encravamento dos dispositivos de dispensação de notas. Há também as quebras de energia e as quebras de comunicações que podem ocorrer ocasionalmente”.

Neste cenário, “acontece por vezes que um ATM não dispense o dinheiro solicitado, mas que a conta do cliente seja debitada”. No entanto, garante a EMIS, o sistema Multicaixa está preparado para fazer a regularização automática nas 24h seguintes deste tipo de anomalia, restituindo o valor na conta do cliente”, circunstância que se observa em 95% destes casos, sendo os outros resolvidos com os bancos. (Novo Jornal Online)

DEIXE UMA RESPOSTA