Eleições-2017: Novas reclamações dos partidos políticos anulam plenária da CNE

PORMENOR DE UMA SESSÃO DO PLENÁRIO DA CNE (FOTO: HENRI CELSO)

A plenária da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) prevista para esta terça-feira, foi anulada, em virtude deste órgão ter recebido, durante o dia de hoje (terça-feira) três reclamações das formações políticas concorrentes ao pleito de 23 de Agosto.

Em declarações à imprensa, a porta-voz da CNE, Júlia Ferreira, informou que a agenda da plenária, que deveria abordar questões pontuais sobre o apuramento dos resultados nacionais, foi cancelada devido a recepção destas duas novas reclamações apresentadas pela UNITA e uma terceira, conjunta, da UNITA, FNLA, APN, CASA-CE e do PRS.

Para a porta-voz, estas reclamações não condicionarão a divulgação, nesta quarta-feira, dos resultados definitivos das eleições deste ano.

A responsável fez saber que estas têm um efeito meramente devolutivo, não suspensivo, pelo que, não põem em causa o cumprimento das tarefas previamente estabelecidas pela CNE, como a divulgação dos resultados definitivos.

Adiantou que, quarta-feira, a CNE se vai pronunciar relativamente a estas reclamações apresentadas por estas formações políticas concorrentes e “vamos dar, também, seguimento a execução de outras tarefas que estão incitas no nosso calendário de apuramento nacional definitivo”.

Sobre as reclamações da UNITA, afirmou que foram apresentadas às 09h49 e às 14h20 de hoje (05 de Setembro), e após o encerramento dos serviços da CNE, já no final da tarde, este órgão recepcionou a reclamação conjunta dos outros partidos concorrentes.

Por este facto, explicou, a plenária criou um grupo de trabalho para, até quarta-feira, 06 de Setembro, formular as devidas respostas às questões apresentadas.

Abordada sobre o teor das reclamações, Júlia Ferreira disse desconhecê-lo, mas da apreciação superficial feita, pode afirmar que estas têm tónica nas questões já apresentadas pela UNITA, algumas das quais afloradas em outras fases do processo eleitoral, como a questão da auditoria ao Ficheiro Informático de Cidadãos Maiores (FICM) e o credenciamento dos delegados de lista.

As eleições de 23 de Agosto contaram com a participação do MPLA, UNITA, CASA-CE, FNLA, PRS e APN, sendo que os resultados provisórios nacionais actualizados, disponibilizados pela CNE de Angola, colocam o MPLA, em primeiro lugar, com 61,05 porcento dos votos. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA