Cunene: Sapateiros clamam por apoios

Sapateiros na província do Cunene (Foto: José Cachiva)

Sapateiros localizados nos arredores de Ondjiva, província do Cunene, clamaram hoje, terça-feira, nesta cidade, mais apoios por parte do governo local, de maneira a fomentar a profissão secular.

Numa ronda feita pela à Angop, na cidade de Ondjiva, os sapateiros foram unânimes ao dizerem que o apoio se impõe para impulsionar a profissão, bem como a necessidade de fomentar projectos de integração para criação de pequenas cooperativas de sapatos.

Abordado pela a Angop, Fernando Guimarães, sapateiro há sete anos, disse que a criação de projectos de ajuda aos sapateiros é necessário para fomentar a profissão secular e permitirá transmitir as novas gerações.

Fernando Tozé, sapateiro há 20 anos, frisou que actualmente está ser muito difícil sobreviver deste negócio, tudo isso porque os preços do material subiram bastante e a procura pelos serviços é reduzida.

Israel Songa, de 45 anos, 15 destes no exercício de sapateiro, sublinhou ser fundamental que os empresários em parceria com o governo invistam na construção de um lugar específico para promover as suas actividades.

O jovem Paulo Augusto, de 18 anos idade, está nesta actividade por gosto, depois de aprender com o seu pai e hoje exerce a profissão com muito orgulho e prazer, daí acreditar que mais apoios poderiam atrair mais pessoas na prática desse ofício.

Segundo dados da Direcção Provincial de Assistência e Reinserção Social na província do Cunene são controlados 50 sapateiros. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA