Bombeiros em Luanda sensibilizam sobre “riscos de afogamento”

Retrato de efectivos de bombeiros. (Foto: Angop/Arq.)

O comando de Luanda do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) realiza, a partir de quarta-feira, um ciclo de palestras sobre “riscos de afogamentos em praias”.

Em declarações á Angop, no Distrito Urbano da Ingombota, o seu porta-voz, Faustino Minguês, disse que o mesmo inicia na escola do I e II ciclo 1114, na Ilha do Cabo, sendo “um tipo de actividade realizada anualmente em parceria com as administrações no inicio de cada época balnear, visando prevenir os afogamentos, sobretudo, nas praias locais.

Numa primeira fase, as palestras vão abrangir as localidades ao longo da beira mar e, na segunda, no interior da província de Luanda, noutras escolas estatais e privados, com vista a elevar a cultura de segurança nas comunidades.

Para assistir aos banhista, os Bombeiros dispoem de meios humanos, aquáticos e terrestres disponiveis nas diferentes praias. Na época balnear finda, todas semanas, na província de Luanda, resgatavam-se corpos de vítimas de afogamentos ou de pessoas em eminência de afogar-se, na sua maioria jovens e adolescentes.

Para o efeito, em Luanda, estão autorizadas para os banhistas as praias da Língua, Jembas, Ramiros, Cepa, Rocha das Mangueiras e Mussulo Centro (Belas), Neyuka, Rua-11, dos Generais, uma parte do Por do Sol (Talatona) e Praia Amélia (Samba), Jango Veleiro, Marinha de Guerra, Tamariz, Rotunda da Floresta (Ingombota) e Vila sede (Cacuaco).

As zonas proibidas e mais frequentadas são a área do Farol Velho e zona sul do Jango Veleiro (Ingombota), Praia Mitcha, Morro dos Veados, Museu da Escravatura e Quilómetros (Belas), das Lagostas (Sambizanga), CEFOPESCA e Boca do Rio (Cacuaco), pelo que se apela aos banhistas a respeitarem rigorosamente os sinais de proibição colocados em praias consideradas perigosas.

Na ausência de salvadores-nadadores do projecto PSA, a bandeira vermelha significa “proibido nadar”, “amarela“, só se pode tomar banho com permissão, ”verde“, acesso livre para banho e “axadrezada“, ausência temporária do salva-vida ou nadador salvador. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA