Bombeiros com meios para salvar vidas nas parias de Luanda

Faustino Minguês - Porta-voz do comando provincial dos Bombeiros (Foto: Rosario dos Santos)

Meios humanos, aquáticos e terrestres estão a disposição do comando de Luanda do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) nas diferentes praias da província, com vista assistir os banhistas nesta época balnear (verão), aberta oficialmente a quinze de Agosto.

O seu porta-voz, Faustino Minguês, informou hoje á Angop, no distrito urbano da Ingombota, que a vigilância das praias é garantida por mergulhadores do Projecto Praias Seguras de Angola (PSA), equipados com lanchas, ambulâncias, viaturas todo terreno e motos aquáticas, dispondo também de varas de seis metros para socorro a beira-mar, para além de kit de primeiros socorros.

É ainda responsabilidade dos nadadores-salvadores a sensibilização dos banhistas, visando à prevenção de afogamentos.

Avançou que estão montadas zonas de apoio balnear com torres de vigia no areal, essenciais quando as praias estão cheias com banhistas.

Em cada torre de vigia, disse, devem estar em prontidão três nadadores-salvadores por dia, que com equipamentos de salvamento técnicos, poderão resgatar de imediato banhistas em risco de afogamento nas praias e prestar socorro.

Estão autorizadas para os banhistas as praias da Língua, Jembas, Ramiros, Cepa, Rocha das mangueiras e Mussulo Centro (Belas), Neyuka, Rua-11, dos Generais, uma parte do Por do Sol (Talatona) e Praia Amélia (Samba), Jango Vveleiro, Marinha de Guerra, Tamariz, Rotunda da Floresta (Ingombota) e Vila sede (Cacuaco).

As zonas proibidas e mais frequentadas são a área do Farol Velho, e zona sul do Jango Veleiro, (Ingombota), Praia Mitcha dos Veados, Museu da Escravatura e Quilómetros (Belas), das Lagostas (Sambizanga), Cefopesca e Boca do Rio (Cacucao), tendo apelado aos banhistas a respeitarem rigorosamente os sinais de proibição em praias consideradas perigosas.

O responsável alerta, igualmente, que na ausência de salvadores-nadadores do projecto PSA, a bandeira vermelha significa “proibido nadar”, “amarela “ só se pode tomar banho com permissão ”,verde“ , acesso livre para banho e “axadrezada“, ausência temporária do salva-vida ou nadador salvador.

Apesar de não revelar o número de mortes na época balnear finda, todas semanas os bombeiros, em Luanda, resgatam corpos de vítimas de afogamentos ou de pessoas em eminência de afogar-se, na sua maioria jovens.

O Projecto Praias Seguras é uma iniciativa nacional coordenada pelo Ministério do Interior e executada pelos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, abrangendo todas províncias do litoral, visando à redução dos riscos de afogamento que correm os banhistas nas praias e rios. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA