Assembleia Geral da ONU inicia debates

Nova Iorque: Sala de sessões da Assembleia Geral da ONU (Foto: Alberto Julião)

A Organização das Nações Unidas (ONU) congrega, a partir de segunda-feira, na sua sede, em Nova Iorque, representantes dos seus 193 Estados membros, por ocasião da 72ª Sessão da Assembleia Geral.

Numa prévia sessão de Alto Nível, a Assembleia Geral leva a debate a prevenção contra o abuso sexual, o combate à impunidade e o apoio e protecção às vítimas.

A pertinência do tema radica, sobretudo, no facto do fenómeno estar associado ao estado de fragilidade e vulnerabilidade das populações residentes em zonas de conflitos armados, em África, Ásia e América Latina, com relatos de envolvimento de efectivos das forças de manutenção de paz da própria ONU.

São os casos da República Centro Africana, Sudão do Sul, Mali, RDC, Nigéria e Haiti, em que capacetes azuis comprovadamente envolvidos foram alvos de procedimentos disciplinares e até judiciais.

Tão logo deles tomou conhecimento, o novo secretário-geral da organização, António Guterres, não perdeu tempo em declarar “tolerância zero a estes comportamentos”, porque “não se pode tolerar que alguém cometa ou promova a exploração e o abuso sexual sob a bandeira das Nações Unidas”.

A Sessão será orientada por António Guterres, que estará acompanhado do presidente da 72ª Assembleia Geral, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Eslováquia, Miroslav Lajcák.

Aberta oficialmente na passada terça-feira, a Assembleia Geral decorre sob o lema “Concentrando-se nas Pessoas: Esforçando-se para a Paz e uma vida digna para todos, num Planeta Sustentável”.

Várias reuniões colaterais estão, entretanto, marcadas para esta segunda-feira, com destaque para as sessões ministeriais dos grupos de contactos da Organização da Conferência Islâmica (OIC) para a Somália, Serra Leoa, Bósnia Herzegovina e para os Muçulmanos na Europa.

António Guterres e Miroslav Lajcák também orientam uma reunião de Alto Nível dedicado ao furacão Irma, que recentemente devastou as regiões das Antilhas, Caraíbas e partes das costas atlânticas dos EUA e Cuba.

Um encontro dedicado às jovens e mulheres iraquianas e nigerianas, estas últimas captivas do grupo Boko Haram, será levada a cabo sob a égide da União Europeia e do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP). A jornada encerra com uma reunião de Alto Nível do Grupo Árabe nas Nações Unidas.

O denominado período de debates da Assembleia Geral decorre de 19 a 25 de Setembro, período durante o qual os chefes de Estado e de governo, ou seus representantes, sobem à tribuna para proferir os respectivos discursos, relativamente à conjuntura internacional e a vitalidade do próprio país.

Segundo a tradição das Nações Unidas, o presidente brasileiro, Michel Temer, será o primeiro orador, seguido do seu homólogo americano, Donald Trump.

O presidente Alpha Condé, da Guiné Conacry, será o primeiro estadista africano a subir ao pódio. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA