Assassino montou cena do crime após golpear idosa em Ipanema

Maria Lúcia, descrita como gentil, feliz e apaixonada por malhação (Foto: Reprodução do Facebook)

Uma mulher gentil, feliz e apaixonada por malhação. O assassinato de Maria Lúcia Guimarães, de 72 anos, encontrada morta dentro da banheira de seu apartamento na Rua Barão da Torre, em Ipanema, chocou não só amigos e parentes, mas policiais da Delegacia de Homicídios. No imóvel, o corpo da vítima estava com os braços amarrados para trás com um cadarço e um saco plástico na cabeça. A polícia revelou, ontem, no entanto, que o assassino montou a cena do crime.

Malu, segundo o laudo cadavérico, não foi morta por asfixia ou afogamento. Ela sofreu um golpe que fraturou a vértebra C-5, provocando sua morte. Depois, seu corpo foi submerso na banheira, e a cabeça foi coberta pelo criminoso.

São detalhes novos que fazem policiais acreditarem inclusive na hipótese de crime passional. Até porque nada foi roubado do apartamento. Também não foi levado qualquer pertence de Malu. O delegado Fábio Cardoso observou que ela era uma mulher com uma aparência muito jovem para a idade que tinha. A ponto de o perito, que assina o laudo, observar que a vítima, embora idosa, parecia ter 55 anos. Um exame deverá dizer se ela pode ter sofrido violência sexual.

— Não descarto nada, inclusive um possível crime passional — afirmou Cardoso. — Quando ela foi posta na banheira, já estava morta.

Câmeras do prédio onde ela morava e de imóveis vizinhos também foram recolhidas pela polícia para análise na tentativa de identificar suspeitos. Mas há a possibilidade de que o criminoso já estivesse dentro do edifício. (Jornal Extra)

DEIXE UMA RESPOSTA