Assalto na via pública acabou em morte

(DR)

A Polícia Nacional está a investigar a morte de um jovem espancado na via pública por um grupo de populares enraivecidos, que, caíram sobre a vítima, aos murros e pontapés, na sequência de um assalto a passageiros que seguiam num táxi. As agressões estão registadas em vídeos amplamente partilhados nas redes sociais, que são uma peça-chave para identificar os responsáveis.

As imagens de populares a agredirem violentamente um jovem na via pública, após um assalto no interior de uma carrinha Toyota Hiace em serviço de táxi, tornaram-se uma prova de homicídio, tendo em conta que a vítima não resistiu à pancada, acabando por falecer no hospital.

Segundo avançou ao Novo Jornal Online o intendente Mateus Rodrigues, porta-voz do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional (PN), os vídeos das agressões, partilhados milhares de vezes nas redes sociais, estão a ser analisados à lupa pelos investigadores para identificar os agressores.

“A população partiu para cima do jovem. Foi muita surra, ele chegou ao hospital em estado lastimável”, lamentou o responsável, sublinhando que “ninguém tem o direito de fazer justiça com as próprias mãos”.

Foi contudo isso que aconteceu, na passada terça-feira, 29, por volta das 14h, em Luanda, em frente à Academia BAI.

Segundo Mateus Rodrigues, tudo começou após dois jovens que circulavam de moto terem interceptado uma viatura Toyota Hiace, vulgo “quadradinho”, sob a ameaça de uma arma.

“Quando o taxista parou, um dos jovens desceu da moto e entrou no Hiace. Recebeu a carteira e a mochila de dois passageiros, que se encontravam na parte traseira do táxi”, conta, acrescentando que o cúmplice ficou na moto já em posição de fuga.

Contudo, quando a dupla se preparava para deixar o local, um dos passageiros que seguia no táxi lançou-se sobre os suspeitos para impedir que escapassem.

“Quando o suposto assaltante subiu na moto, um dos passageiros apercebeu-se que a arma dos meliantes não tinha munições e correu atrás deles para dificultar a fuga. O condutor da moto deixou cair a pasta com os valores que tinham acabado de roubar. O passageiro conseguiu puxar o suposto marginal, mas o seu cúmplice conseguiu escapar”, descreveu Mateus Rodrigues.

O porta-voz da PN acrescentou que as agressões começaram quando o suspeito caiu da motorizada. “Apelamos sempre à população para evitaram situações do género”, reiterou o responsável. (Novo Jornal)

DEIXE UMA RESPOSTA