Ler Agora:
UNITA dá 72 horas à TPA para mudar de “postura”
Artigo completo 2 minutos de leitura

UNITA dá 72 horas à TPA para mudar de “postura”

Principal partido da oposição acusa a TPA de ser “uma autêntica máquina de propaganda político-partidária” do MPLA
A UNITA deu um ultimato à Televisão Pública de Angola (TPA) para mudar a sua postura em relação à cobertura dos actos da sua campanha eleitoral sob pena de prescindir dos seus serviços.

O maior partido da oposição angolana deu 72 horas à TPA, que terminam nesta quinta-feira, 10, e diz que se a televisão pública continuar com a mesma postura não deverá mais cobrir as suas actividades até ao fim da campanha eleitoral.

Da mesma forma, a UNITA declinou o convite da TPA que pretendia entrevistar o seu líder no dia 14 de Agosto, por entender que o debate proposto por Isaías Samakuva ao candidato do MPLA João Lourenço teria mais interesse público do que uma entrevista.

Na mesma nota, o partido do Galo Negro acusa a TPA de se ter “convertido” numa autêntica máquina de propaganda político-partidária que utiliza o património público e os seus espaços privilegiados para publicitar a plataforma político-eleitoral do partido MPLA e do seu cabeça-de-lista”.

Para o activista e jornalista, Rafael Marques a decisão da UNITA “deve ser respeitada”.

Ele também entende que a TPA é usada desde então como uma arma contra a UNITA.

Rafael Marques defende uma campanha social para a despartidarização dos órgãos de comunicação públicos no país.

Entretanto, o candidato da UNITA, Isaías Samakuva, que realiza uma digressão pelo leste do país, prometeu no Moxico a abertura de mais escolas e a construção de postos de saúde em cada aldeia, caso o seu partido saia vencedor das eleições de 23 de Agosto. (Voa)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »