TAP ficou a dever 10 milhões a Angola por causa de esquema de lavagem de dinheiro

(RFI)

A TAP, transportadora aérea nacional, terá usado um esquema de lavagem de dinheiro com origem numa empresa participada pela Sonangol. Segundo o Público, que teve acesso á acusação do Ministério Público, a operação gerou uma dívida de 10 milhões da TAP a Angola.

O esquema terá sido montado em beneficio de alguns dirigentes da Sonangol, com a ajuda de um administrador da transportadora.

O Púbico escreve ainda que a acusação foi deduzida pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) contra sete arguidos, três advogados e quatro pessoas ligadas à TAP.
Os arguidos estão indiciados pelos crimes corrupção activa com prejuízo no comércio internacional, branqueamento e falsificação de documentos.

No texto da acusação é descrito que a transportadora aérea angolana Sonair, que pertence à Sonangol, pagou elevadas somas à TAP durante cerca de quatro anos, até 2013, para que esta lhe fizesse a manutenção aos aviões.

No entanto, o Ministério Público defende que nenhum serviço foi prestado: “A Sonair nunca exigiu a prática de qualquer trabalho de manutenção dos motores das aeronaves, pois, na realidade, não se pretendia a realização dessa prestação contratual”. (Renascença)

por Público

DEIXE UMA RESPOSTA