Suposto militante da UNITA reaparece para dizer que não foi assassinado, UNITA diz que o homem apresentado não é o militante desaparecido

Adelino João Cassoma, suposto morto, apresentado pela polícia (DR)

O militante da UNITA, Adelino João Cassoma, alegadamente sequestrado e assassinado por partidários do MPLA na Lunda Norte, apareceu agora, pela mão da Polícia Nacional, a dizer que está vivo e de boa saúde. O partido do “Galo Negro” insiste que é uma encenação e que o verdadeiro está mesmo desaparecido.

Em declarações à imprensa, um homem que diz ser Adelino João Cassoma, desmentiu todas as acusações feitas pelo deputado Adalberto da Costa Júnior e também pelo Secretário Nacional para os Direitos Humanos da UNITA, Joaquim Nafoia, denunciando que o militante tinha sido raptado e atirado ao rio Cuango, onde foi comido por crocodilos.

“A UNITA não devia fazer esse tipo de acusação porque não tinha provas de nada, uma vez que em nenhum momento eu fui raptado e assassinado por responsáveis do MPLA na Comuna do Luremo”, disse Adelino João Cassoma.

Adelino Cassoma estava desaparecido há uma semana, na comuna do Louremo, município do Cuango, na província da Lunda Norte e foi descoberto pela Polícia Nacional no interior de uma residência na localidade de Cafunfo.

Contactado pelo Novo Jornal Online, Joaquim Nafoia, Secretário Nacional da UNITA para os Direitos Humanos, refuta a identidade do indivíduo que se apresentou como Adelino João Cassoma, afirmando que se trata de”uma maquinação do MPLA”.

“Aquele não é o nosso companheiro”, garantiu, prometendo apresentar provas daquilo que considera ser uma “encenação montada pelo MPLA” para resolver este problema grave. (Novo Jornal)

DEIXE UMA RESPOSTA