Sem forças armadas à noite, Rio teve, ao menos, 2 caminhões roubados

Oficiais da polícia militar procuram por foragidos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, no dia 2 de janeiro de 2017 (Afp)

Crimes aconteceram na noite desta segunda-feira (31). Em um dos casos, o motorista foi feito refém e PM trocou tiros com criminosos.

Foi só as tropas das forças armadas saírem das ruas que os criminosos voltarqam a agir. Na noite desta segunda-feira (31), o Rio registrou pelo menos dois casos de roubos de carga. Em um deles, a polícia militar trocou tiros com os criminosos e resgatou um motorista feito refém.

O caminhão de óleo lubrificante seguia pela Avenida Brasil e, quando passava pela altura da Estrada do Camboatá, bandidos armados renderam o motorista e o obrigaram a ir para o Complexo do Chapadão, na Zona Norte. Quase chegando à comunidade, a central de rastreamento bloqueou o caminhão.

Os assaltantes ligaram para a central exigindo o desbloqueio e ameaçando matar o motorista. A polícia militar foi chamada e encontrou o caminhão. No local, houve troca de tiros. Ninguém ficou ferido e a carga foi recuperada.
O local onde o roubo aconteceu é o mesmo onde, pela manhã, o Globocop fez imagens de uma blitz de tropas das forças armadas.

O sindicato das empresas diz que a Avenida Brasil é um dos pontos mais perigosos para o transporte de carga.
“O acesso das comunidades à rodovia facilita a ação dos bandidos. Para o sindicato, se não reforçar a segurança em trechos como esse, será difícil reduzir os números de roubos”, disse o vice-presidente do SindiCargas, Donizete Pereira.

Um outro caminhão também foi roubado na noite de segunda-feira. O motorista transportava produtos eletrônicos e foi parado por bandidos na Rua Gonzaguinha, na Ilha do Governador. Toda a carga foi levada para o Complexo da Maré.
Em junho deste ano o número de roubo de cargas no estado do Rio subiu mais de 40%, comparado ao mesmo mês do ano passado. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA