Rio de Janeiro: 97 polícias “abatidos” em oito meses

Um soldado do 16º BPM (Olaria) morreu e outras duas pessoas ficaram feridas durante uma suposta tentativa de assalto na Estrada do Porto Velho, em Cordovil, na zona norte do Rio de Janeiro (ARQ) (DR)

ma policial morreu na madrugada deste sábado (12) depois de ser baleada na cabeça durante um assalto na Av. Pastor Martin Luther King, na altura de Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. A cabo Elisângela Bessa Cordeiro, de 41 anos, era lotada no 5º BPM, no Centro, é a 97ª PM morta no estado este ano.

De acordo com a polícia, o crime aconteceu por volta de 1h20 e Elisângela chegou a ser levada com vida para o Hospital Central da PM, no Estácio, também na Zona Norte, mas não resistiu aos ferimentos.

Ainda segundo a PM, Elisângela estava com o marido em um carro quando foram abordados por criminosos. Eles atiraram na agente e fugiram levando o veículo. O casal voltava do trabalho em uma barraca de batata frita de propriedade da família, em Nilópolis, na Baixada Fluminense.

Muito triste, o irmão da vítima, Marcos Bessa, lamentou a morte da policial. “Minha irmã tinha 41 anos e era cheia de vida. Estão matando polícia igual mosquito, mais uma morte na mão do sr. Sérgio Cabral e do Sr. Pezão, roubaram tudo o que tinha e o que não tinha e não sobrou nada pra segurança pública”, disse.
A PM não soube informar se a arma da policial foi levada pelos criminosos. O marido dela não ficou ferido.
Morto em serviço

Horas antes de Elisângela ser morta em Coelho Neto, outro policial havia morrido após ser baleado em serviço. O soldado Samir da Silva Oliveira, de 36 anos, lotado na UPP São João, foi atacado na Rua 24 de maio, em frente à estação Silva Freire, no Méier, também na Zona Norte.

Informações preliminares da PM apontaram que o soldado tentou abordar um carro suspeito quando os ocupantes do veículo atiraram. Samir foi ferido no rosto e socorrido para o Hospital Municipal Salgado Filho, onde morreu.
A PM fez buscas na região e, até as 21h, dois suspeitos tinham sido presos e foram conduzidos para a 26ª DP (Todos os Santos).

Policial Civil morto no Jacarezinho

Também na sexta-feira (11), um policial civil da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) morreu após ser baleado durante uma operação realizada na comunidade do Jacarezinho, Zona Norte do Rio. Bruno Guimarães Buhler, de 36 anos, foi baleado no pescoço e chegou a ser levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, mas não resistiu.

Após o término da operação, os agentes da Core retornaram ao Jacarezinho e houve nova troca de tiros na comunidade, que resultou em mais uma pessoa baleada. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, André Macedo, baleado na perna direita, foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar e entrou em cirurgia por volta das 17h25. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA