Pequim ameaça Índia caso não deixe área disputada

(DR)

A Índia deve tirar as suas tropas do território chinês se não quiser uma guerra, declarou o director do centro de cooperação internacional de segurança do Ministério da Defesa chinês, Zhou Bo.

Zhou Bo e o aposentado major-general do exército indiano, Ashok Mehta, participaram de debates no canal CGTN, dedicados à tensão na área de Doklam.

O militar indiano afirmou que a mídia chinesa escreve matérias agressivas sobre a Índia, mencionando um possível confronto armado entre os dois países.

Ao responder à afirmação de Ashok Mehta sobre Doklam ser uma área disputada, o seu oponente chinês disse que “o Butão participou de 24 turnos de negociações, mas nunca pôs em questão que este seja um território chinês”.

“Estão no território da China, se não querem guerra, devem sair de nosso território”, disse o militar chinês.

A tensão entre a Índia e a China em torno de Doklam, uma área montanhosa na fronteira entre a Índia, China e Butão, permanece desde junho. A China começou a construção de uma rodovia na região, o que causou protestos da parte do Butão. Uns dias depois, as tropas da Índia — país que mantém laços de amizade com o Butão — atravessaram a fronteira e fizeram com que os soldados chineses deixassem o território.

Mais tarde, a chancelaria da China afirmou que o território, onde estava construída a via, está mais uma vez sob controlo dos militares chineses, reforçando que o pedido a Nova Deli para retirada das suas tropas da área tenha sido feito várias vezes e visa acabar com a tensão.

Ao discursar na cerimónia por ocasião do 90º aniversário do exército chinês, Xi Jinping declarou que Pequim é a favor da paz e diálogo e não pretende se tornar agressor, mas não permitirá que lhe tirem nem um pedaço do território. (Sputnik)

DEIXE UMA RESPOSTA