MPLA vai erguer os bens destruídos

CANDIDATO DO MPLA A PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOÃO LOURENÇO (FOTO: DOMINGOS NICOLAU)

O candidato do MPLA a Presidente da República nas eleições gerais de 23 de Agosto garantiu ontem, na Praça da Solidariedade, na cidade do Cuito, a reposição dos postos de trabalho para os jovens, com o relançamento da indústria que o país teve num passado recente.

João Lourenço, que no âmbito da campanha eleitoral presidiu a um comício que juntou milhares de militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, lembrou que, no passado, Angola teve um parque industrial muito activo.

O político acrescentou que, em consequência da guerra, a cidade do Cuito ficou completamente destruída. “Deixámos de ter indústria, porque aqueles que hoje dizem que são democratas dinamitaram a indústria angolana”, disse João Lourenço em uníssono com os milhares de presentes no acto.

O candidato do MPLA afirmou que os operários são uma força de trabalho importante e considerou que aqueles que destruíram a indústria são os mesmos que hoje dizem que a juventude não tem emprego.

Para alavancar a indústria na região, João Lourenço informou que o Executivo tem investido bastante na produção e distribuição de energia eléctrica, tendo ressaltado que os principais investimentos neste domínio estão a ser realizados na bacia do rio Cuanza, que nasce na província do Bié.

O candidato apontou, para o efeito, as barragens hidroeléctricas de Capanda, Laúca e Caculo Cabaça, que está na forja, e mencionou que é justo que estes investimentos sirvam o desenvolvimento económico e social da província.
“Não podemos prescindir dos diferentes pontos de produção de energia como as centrais combinadas.

Devemos aumentar ao máximo esta capacidade que o país tem e, algumas delas, vão entrar em funcionamento dentro de dias, como por exemplo a do Soyo”, disse. O candidato do MPLA a Presidente da República nas eleições gerais disse que o Executivo do partido que sair das eleições vai estabelecer programas para aumentar o rendimento da agricultura familiar e garantir que as sementes, adubos e fertilizantes cheguem a tempo, para não atrapalhar o processo de produção. “Se o fizermos, temos a certeza de que estaremos a contribuir para combater a fome e a miséria, que infelizmente ainda existe no nosso seio”, disse.

Além de apontar a necessidade do fomento da agricultura familiar, João Lourenço salientou que o Bié tem tradição agrícola e não se pode falar de agricultura sem mencionar o nome da província e dos seus camponeses.

No seu regresso ao Cuito, cinco meses depois, o candidato do MPLA confirmou a popularidade que tem estado a granjear na província ao ser recebido em apoteose por uma multidão considerável, com cartazes, bandeiras, dísticos com as cores vermelha, preta e amarela, que lotaram as ruas do Cuito para o ovacionar.

Depois de, em Fevereiro, ter defendido no Cuito políticas que facilitam mais investimentos no interior do país, visando combater as assimetrias em diversas regiões de Angola, desta vez o discurso de João Lourenço centrou-se no relançamento da indústria, fomento da agricultura e na renovação da confiança dos jovens que aspiram por emprego, para contribuir para o desenvolvimento da província. (Jornal de Angola)

por Adalberto Ceita e Sérgio V. Dias

DEIXE UMA RESPOSTA