MPLA promete formação e qualificação técnica dos quadros e agentes desportivos

Candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço (Foto: VALENTINO YEQUENHA)

O MPLA vai promover e generalizar a prática desportiva nas escolas e universidades em todo o território nacional e assegurar a formação e a qualificação técnica dos quadros e agentes desportivos.

Essas promessas foram feitas ontem pelo candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço, no encontro com os dirigentes, técnicos, agentes desportivos, atletas e imprensa desportiva, no Centro de Conferência de Belas, em Luanda.

João Lourenço, que também praticou karaté e xadrês, iniciou o seu discurso prestando uma homenagem ao Presidente da República, José Eduardo dos Santos, por ser um dos maiores incentivadores da prática desportiva e ter dado “exemplos claros” da sua vocação como desportiva, sem esquecer os outros que têm contribuído directa e indirectamente para o desenvolvimento do desporto angolano. O desportista José Sayovo foi também referenciado pelo vice-presidente do MPLA, como um atleta que orgulha o país pelas suas conquistas a nível nacional, continental e mundial.

O político do MPLA garantiu aos desportistas que o seu partido vai construir mais instalações desportivas, reabilitar os centros comunitários e pavilhões polidesportivos existentes, criar condições institucionais e legais para a gestão e rentabilização das infra-estruturas, e melhorar a competição nacional, através da adequação dos modelos competitivos, que resultam na melhoria da participação das selecções nacionais nas competições internacionais.

O programa de governação do MPLA, acrescentou o vice-presidente do partido, prevê ainda a criação de condições que conduzam ao aumento de clubes desportivos, como garantia do aumento de praticantes do desporto de recreação e de rendimento, entre outras medidas e objectivos estratégicos, “que permitirão retomar a mística dos anos áureos do desporto em Angola.” Para João Lourenço, o desafio é a optimização dos recursos humanos, materiais e das infra-estruturas, o financiamento privado, a reorganização orgânica do sistema desportivo e a sua integração com os outros sistemas.

Ao desporto escolar, também será dada uma atenção especial, disse João Lourenço, por ser o viveiro do desporto federado, cujos atletas estiveram representados, com destaque para o basquetebolista Joaquim Gomes “Kikas” e o futebolista Love Cabumgula. “Reconhecemos que muito trabalho ainda deve ser realizado, porque entendemos que a nação precisa cada vez mais de resultados que contribuam positivamente para a elevação do orgulho nacional”, admitiu o candidato a Presidente da República, considerando ser necessário melhorar os níveis organizativos do desporto nacional.

João Lourenço disse que o MPLA ambiciona alcançar em 2022 uma cifra considerável de praticantes de desporto, para superar o número de 125. 000 com que o país conta actualmente. “O desporto ocupou sempre uma posição destacada na agenda de governação do MPLA, por constituir um factor de unidade nacional e instrumento de reafirmação do nosso patriotismo”, sublinhou João Lourenço, que recebeu várias mensagens de apoio à sua candidatura e um livro do jornalista Carlos Pacavira, intitulado “Angola- Memórias de um CAN exemplar”.

Apelo dos desportistas

As várias organizações desportivas representadas no encontro solicitaram a intervenção de João Lourenço, para a valorização do desporto escolar e dos quadros que promovem essa actividade e dos atletas olímpicos, paralímpicos e de alta competição, assegurando a implementação de medidas que garantam a sua reforma, o seu sustento e o das suas famílias.

Os dirigentes desportivos que representaram os comités Olímpico e Paralímpico, as organizações de defesa do desporto escolar, da mulher no desporto, os clubes, as federações e os atletas manifestaram-se descontentes com a degradação de algumas infra-estruturas desportivas e apelaram para a sua reabilitação, manutenção regular e rentabilização, além da construção de outras para envolver mais crianças e jovens no desporto e incentivar outros cidadãos à prática de exercícios físicos para manutenção da saúde e o seu bem-estar. O pedido para a aplicação da Lei do Mecenato foi feito várias vezes pelos dirigentes desportivos na altura das suas intervenções. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA