Ler Agora:
MPLA promete criar 20 mil empregos
Artigo completo 3 minutos de leitura

MPLA promete criar 20 mil empregos

Caso vença as eleições gerais, o MPLA vai criar, na província do Cuando Cubango, mais de 20 mil postos de trabalho para a juventude, através de projectos nos sectores da agro-pecuária, indústria, minas e turismo.

De acordo com o secretário-geral do partido, Paulo Kassoma, a efectivação dos postos de trabalho vai ser possível principalmente com a concretização do projecto transfronteiriço Kavango/Zambeze (KAZA) e do pólo de desenvolvimento turístico da bacia do Okavango, que vai promover mais de dez mil empregos directos.

Falando num comício na cidade de Menongue, Paulo Kassoma disse que o Executivo, liderado pelo MPLA, está a criar condições para que turistas nacionais e estrangeiros possam visitar as áreas do projecto KAZA, no Cuando Cubango, sobretudo no município do Cuito Cuanavale e nos parques de Mavinga e do Luengue-Luiana, que vão ser transformadas num dos maiores destinos turísticos do mundo.

O político afirmou que o MPLA continua a dar um lugar de destaque no seu programa de governação 2017/2022 ao projecto Kavango/Zambeze pelos grandes benefícios que vai trazer à província e à população do Cuando Cubango.
Paulo Kassoma falou ainda da Fazenda Agro-industrial do Longa, vocacionada para a produção e processamento de arroz, o projecto de produção de ferro gusa e as 40 fazendas de produção bovina para o gado de corte, no município do Cuchi.

Outros investimentos de destaque na província, segundo Paulo Kassoma, são o matadouro de carne bovina e caprina, o projecto Agro-pecuário 88, para a produção de cereais e pecuária, no Missombo, e um projecto florestal de eucaliptos na localidade de Canona, município do Cuchi. Todos estes, explicou o político, vão garantir mais de 20 mil postos de trabalho para os jovens do Cuando Cubango.

Paulo Kassoma falou também de outra fonte de emprego: a construção e reabilitação de 1.100 quilómetros de estradas, que o MPLA prevê igualmente executar nos próximos cinco anos, como principais prioridades para os troços rodoviários Cuito Cuanavale/Mavinga/Rivungo, Cuito Cuanavale/Nancova, Caiundo/Catuitui e Bondo-
Caíla/Cuangar/Calai/Cuangar/Dirico. “Temos consciência e sabemos que a juventude do Cuando Cubango clama por mais empregos e melhores condições de vida”, disse o secretário-geral do MPLA, garantido ser esta uma preocupação do partido e que conta já com soluções para o efeito.

“O Cuando Cubango continua a avançar e a constituir-se num pólo de grandes projectos e investimentos estratégicos para o país que no curto prazo vão continuar a inverter para melhor a situação económica e social do seu povo”, disse, sublinhando que a província possui abundantes cursos de água, terras aráveis e florestas densas, para agricultura familiar e empresarial, capaz de produzir alimentos em quantidade para a exportação.

Diante de milhares de pessoas, Paulo Kassoma afirmou que Cuando Cubango é hoje um símbolo de solidariedade para os povos da África Austral, onde se materializou a palavra de ordem do Presidente António Agostinho Neto de que “na Namíbia, no Zimbabwe e na África do Sul está a continuação da nossa luta”. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »