Marcolino Moco lamenta “sensacionalismo” da TPA

O antigo primeiro-ministro angolano Marcolino Moco (DR)

A Televisão Púbica de Angola (TPA), entrevistou o ex primeiro-ministro, Marcolino Moco e antigo secretário-geral do MPLA, no encontro que o candidato do MPLA patrocinou com os fazedores de cultura, no Centro de Conferências de Belas, na última terça-feira, e trouxe a público àquilo que os seguidores de Marcoli Moco menos esperavam.

Em viva voz, Moco, que tem se assumido como um dos mais acérrimos críticos da governação do MPLA e de José Eduardo dos Santos, defendia o Presidente da República e é/era de opinião que o mesmo (Presidente), deveria ser homenageado “pelo que muito fez pelo país”, denotando uma certa reaproximação com o seu partido e ao presidente cessante.

No entando, 24 horas depois, na sua página de facebook, “Recuperado da desagradável surpresa”, como faz referência, Marcolino Moco escreveu que “não sabia que “editar” significa proceder a “cortes cirúrgicos” radicais”.

“Ainda bem que amigos como o Renato o notaram. Ninguém esperaria que a TPA fosse “obrigada” àquilo, numa altura em que suspiramos pela passagem para uma nova fase da vida política, em Angola, seja quem vier a ser o vencedor destas eleições. Eu já suspendi a actividade política no seio do meu partido há muitos anos, para me dedicar a um discurso de apelo ao bom senso nacional. Ao ver aquilo na TPA, cheguei a pensar em desistir até disso mesmo.

Recuperado da desagradável surpresa e incentivado pela compreensão de muitos não desistirei. A esperança por dias melhores do que hoje, deve acompanhar-nos até aos últimos dias da nossa vida. Se queremos ser úteis à sociedade, que nos transcende”, concluiu. (Portal de Angola)

por Osvaldo de Nascimento

DEIXE UMA RESPOSTA