Maior ladrão de carros do Rio chorou ao ser preso, nesta quinta-feira

Caio Piloto tem em seu nome seis mandados de prisão expedidos pela Justiça do Rio de Janeiro (Foto: Guilherme Pinto / Guilherme Pinto/Extra/Agência O Globo)

Apontado pela polícia como sendo o maior ladrão de carros em atividade no Rio de Janeiro, Caio Felipe Rodrigues Figueiredo, o Caio Piloto, que já foi reconhecido em 78 ataques contra motoristas de veículos, chorou ao ser preso, nesta quinta feira, no Complexo do Chapadão, localizado entre os bairros de Pavuna, Costa Barros e Anchieta, na Zona Norte do Rio. Segundo a polícia, o bandido temia ser morto e por isso chegou a usar parentes como escudo ao ser rendido por policiais civis.

Em outra ação policial, policiais militares do 41º BPM (Irajá) prenderam no no Morro da Quitanda, no Complexo da Pedreira, também mesma região, Thiago Rodrigues Silva, TH, ou Gordo. Os dois presos foram levados para a Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte .

TH é cunhado do traficante Carlos José da Silva Fernandes, o Arafat, que está preso desde novembro do ano passado. De acordo com a polícia, TH é gerente do roubo de cargas da facção que controla o Complexo da Pedreira e é responsável por coordenar e planejar os ataques contra motoristas de caminhões que trafegam em locais como Avenida Brasil, Arco Metropolitano, Rodovia Washington Luís e Rodovia Presidente Dutra. Só entre janeiro e junho de 2017, ocorreram 5179 roubos de carga no estado.

O total representa um aumento de 24,8% deste tipo de ocorrência, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a polícia, mais de 50% dos roubos de cargas que ocorrem no estado são praticados pelas quadrilhas do Chapadão e da Pedreira.

De acordo com o coronel Marcus Lima,do 41º BPM, TH foi localizado em uma casa da Rua Pátio da Estação. Com ele, os policiais apreenderam um fuzil, pelo menos 20 balas para este tipo de arma, uma granada e um rádio de comunicação. Durante a operação, os PMs trocaram tiros com bandidos que faziam a segurança de TH, mas não houve feridos no confronto.

— Chegamos até ao TH com um trabalho de inteligência. Tivemos informação que ele pretendia usar a localidade conhecida como Tom Jobim, na Pedreira, como uma base para o roubo de cargas, a exemplo do que já acontecia na Quitanda, que fica no mesmo Complexo. na operação desta quinta-feira conseguimos fazer a prisão — disse .

Já Caio Piloto foi preso numa operação que envolveu policiais da 52ª DP (Nova Iguaçu) e da Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de cargas (DRFC). Ele foi encontrado dentro de uma casa da Favela Final Feliz, no Chapadão. Com seis mandados de prisão expedidos em seu nome pelo Tribunal de Justiça do Rio, o bandido preferiu não reagir. Com medo de ser morto, ele chegou a chorar ao ser detido.

Segundo o delegado Marco Aurélio Ribeiro, da 52ª DP ( Nova Iguaçu), Caio Piloto usava o Chapadão como base. Da localidade, ele partia para fazer assaltos com seu bando nos municípios de Nilópolis, Duque de Caxias, São João de Meriti e Nova Iguaçu.

— Ele e o bando roubavam em média de oito a dez veículos por semana. Os veículos eram levados para comunidades da facção que ele integra e eram vendidos por preços que variam entre R$ 3mil a mil reais. Além disso, a quadrilha também vendia peças dos veículos que eram desmanchados— disse o delegado.

Já o delegado Sérgio Caldas, diretor do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB) disse acreditar que a prisão de Caio Piloto vai ajudar a cair o número de roubo de veículos na região.

— Caio Piloto vinha agindo desde 2012. Ele era investigado por várias delegacias da Baixada e da Zona Norte, e também por especializadas como Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis e Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense. Acredito que a prisão dele vai ajudar a diminuir o número de roubo d e veículos na Baixada — disse.

Um dos roubos em que Caio Piloto foi reconhecido ocorreu na noite do dia 27 de abril último. Na ocasião, ele e um outro homem em uma motocicleta atacaram um casal que havia acado de sair de um carro na Rua Nilo Peçanha, em Nilópolis. Um vídeo feito por câmeras de segurança mostra que a dupla fugiu levando dinheiro e pertences das vítimas. (Jornal Extra)

DEIXE UMA RESPOSTA