Jovem que matou a ex na frente dos filhos e desapareceu se entrega à polícia: ‘Não fugiu’

Dois momentos da vida do suspeito: em uma rede social e quando foi preso por tráfico (Foto: Divulgação)

Wellington dos Santos Ferreira permaneceu quase um mês foragido e disse que não sabia de mandado.

Wellington dos Santos Ferreira, de 21 anos, que matou a ex-namorada Fernanda Marília da Silva, de 16, se apresentou à polícia na terça-feira (8). Ele estava foragido há cerca de 20 dias, depois que sua ordem de prisão foi expedida em Bertioga, no litoral de São Paulo.

O rapaz executou a adolescente na frente das duas filhas do casal – uma de um ano e outra com três meses de vida. Um dia após o assassinato, ele se apresentou na Delegacia Sede da cidade com um advogado, mas acabou liberado por não ter ocorrido flagrante do delito.

“Nós não sabíamos da ordem de prisão, e ele não fugiu. Wellington estava em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos no interior de São Paulo e decidiu se apresentar quando soubemos do mandado”, informou o advogado dele, Paulo Cezar da Silva Moura.

Segundo o defensor, Wellington é viciado em entorpecentes e foi internado por vontade própria há 15 dias. “Ele está com a intenção de pagar na Justiça pelo crime que cometeu. Mesmo assim, vamos tentar a liberdade, para que ele volte a ser internado na clínica”, disse.

O delegado Sérgio Nassur, titular da Delegacia Sede de Bertioga, informou que o assassino confesso estava, na verdade, na casa de familiares, fora da cidade. Ele foi preso, encaminhado à Cadeia Pública de Guarujá e depois transferido ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente, também no litoral paulista.

A ordem de prisão ocorreu uma semana após o crime. Desde então, a equipe da Polícia Civil tentava localizá-lo nos endereços de familiares e conhecidos na cidade e em locais próximos. A divulgação da ordem de prisão manteve-se em sigilo até segunda-feira (7).
O caso

Fernanda foi morta com três tiros quando Wellington foi visitar as duas filhas do casal na casa da ex-sogra. Em seguida, ele fugiu do local do crime, mas foi convencido pela própria mãe a se apresentar à polícia no dia seguinte, com um advogado.

“Fui eu mesma que o convenci a se entregar. Quero que a justiça seja feita. Meu filho estava drogado. Foi uma coisa horrorosa matar a mãe dos próprios filhos”, desabafou, na época, Mariluce dos Santos, mãe do foragido. Ele confessou o crime ao delegado.

Familiares disseram que os dois se separaram após brigas constantes. Em uma das ocasiões, Fernanda foi agredida por ele e levada pela então sogra até à delegacia para registrar o caso. Mesmo assim, a jovem voltou a se relacionar com ele.

A mãe da vítima, a faxineira Maria de Fátima da Silva, de 37 anos, desabafou após o crime. “Eu não consigo expressar o que estou sentido agora. É grande a minha indignação. Ele está solto, sabe onde a gente mora. Estou com muito medo”.

“Agora, meus netos são meus filhos. Minha filha voltou para casa, pois não aguentava mais. Ele [Wellington] a ameaçava. Ele matou minha filha, foi à delegacia e confessou. Quanto vale a vida da minha filha?”, questionou a mãe, emocionada. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA