Homem não saía de casa há 26 anos

Habitação. Pixabay (DR)

Proprietário estava num estado de subnutrição extrema e vivia com a companheira. Um passaporte de cidadão da URSS era a única identificação que tinha

As autoridades russas retiraram de casa, esta quarta-feira, em São Petersburgo, o proprietário de uma casa que, aparentemente, estava fechado desde a desagregação da União Soviética em 1991.

O homem vivia com a companheira, num espaço cheio de amontoados de lixo. Foi o estado de degradação da habitação que terá levado as autoridades a imporem a desocupação. Aparentemente, o casal acumulava na casa todo o lixo que a mulher trazia da rua.

Um passaporte de cidadão da URSS era a única identificação que tinha com ele”, de acordo com um comunicado das autoridades russas, citadas pelo El Pais.

O comunicado esclarece que o homem estava num estado de subnutrição extrema e que há vários anos que não saia de casa. Já a mulher, refere o mesmo jornal, deverá sofrer da síndrome de Diógenes, uma desordem caracterizada por extrema autonegligência, descuido do lar, retirada social, apatia, acúmulo compulsivo de lixo.

Mediante ordem judicial, as autoridades transferiram o homem para um hospital e a mulher para uma instituição psiquiátrica. (TVI 24)

DEIXE UMA RESPOSTA