Eleições/2017: CASA-CE promete atenção especial aos antigos combatentes

Bandeira-da-CASA-CE DR

A CASA-CE promete aumentar o valor actual de 21 mil Kwanzas da pensão dos antigos combatentes e intensificar as acções de formação sócio-profissional dos ex-militares, com vista à sua valorização e dignificação.

Na visão dessa coligação de partidos, que concorre nas eleições de 23 de Agosto, o valor actual da pensão não cobre as despesas mínimas com a família dos antigos combatentes e ex-militares, situação que a CASA-CE pretende mudar, embora não avance números.

Essa pretensão foi avançada hoje (quarta-feira), em Luanda, pelo candidato a deputado dessa formação política e general na reserva, Carlos Candanda, durante o tempo de antena da coligação na Rádio Nacional de Angola (RNA).

Lembrou que a maior parte dos ex-militares que participou na guerra foi soldado e não tinha o ensino primário ou secundário concluído e, após a sua desmobilização, não teve os apoios que se impunham, como a formação sócio-profissional para a sua inserção no mercado de emprego.

“Não têm formação e qualificação, quadro que a CASA-CE vai corrigir com a implementação do seu programa de governo”, declarou, prometendo aumento dos centros de formação profissional em todo o país.

No seu programa de governo para o quinquénio 2017/22, a coligação propõe-se combater o desemprego em segmentos mais atingidos, entre os quais os ex-militares, para a promoção do emprego em sectores como agricultura, turismo e serviços, em articulação com a estratégia de modernização e competitividade da economia que esta agremiação pretende implementar no país.

Esta força política estreou-se nas eleições de 2012, tendo obtido 6% dos votos, correspondentes a oito deputados.

Concorrem ao pleito eleitoral do dia 23 seis formações políticas (MPLA, UNITA, FNLA, PRS, APN e CASA-CE). (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA