Diocese de Viana reconfirma condições para Peregrinação à Muxima

Mama Muxima (DR)

As condições de acomodação dos devotos que irão a Peregrinação ao Santuário da Nossa Senhora da Muxima estão criadas, já que existem espaços limpos e prontos para acolher os fiéis, reconfirmou hoje, na Vila de Viana (Luanda), o Bispo da Diocese, Dom Joaquim Ferreira Lopes.

Falando em conferência de imprensa a propósito da actividade e dos festejos dos 10 anos da criação da Diocese, altura da inauguração da Igreja da Santa Teresa Nova da Cabala, o prelado referiu que “pessoas e viaturas já têm os seus espaços limpos e prontos”.

A deslocação dos fiéis ao Santuário saudara a inauguração da Igreja, a 4 de Agosto, assim como da Peregrinação a Muxima, nos dias 5 e 6 do mês em curso.

Dom Joaquim Ferreira Lopes informou ainda que por certos pontos de Luanda haverá autocarros que farão o transporte em carreiras especiais, a partir de sexta-feira, 4 de Agosto.

Quanto a própria actividade religiosa, anunciou a abertura do programa para 5 de Agosto, às 12H00, com a reza do Angelus do Senhor e, a partir daí, o Santuário entra numa preparação espiritual, sendo que, às 18H00 do mesmo dia, acontecerá a missa de abertura oficial.

Já Domingo (06), afirmou, o dia vai estar marcado com “O Rosário”, para além do grande momento que se concentrará na missa de conclusão, às 9H00.

O bispo reafirmou, por outro, que na Muxima “os peregrinos vão se concentrar exclusivamente ao âmbito religioso e não do quadro de aconselhamento político, porque no local não há espaço para esse tempo”, sublinhou.

Quanto a eventual participação de estrangeiros, o bispo disse que não sabe se a Polícia já fez referência a isso, mas alertou que “não têm capacidade verdadeiramente de turismo organizado para recepção de estrangeiros”, o que pode acontecer num futuro próximo, tendo admitido a presença aleatória de tais elementos, que podem ser pessoas ligadas a diplomacia ou a outras actividades no país.

Por sua vez, as autoridades policias, em Luanda, garantem a criação de condições para o asseguramento dos cerca de um milhão de crentes que estão a dirigir-se a rumaria ao Santuário da Nossa Senhora da Muxima, segundo o director do gabinete de Informação Institucional e Imprensa da delegação provincial do Ministério do Interior, inspector chefe Mateus de Lemos Rodrigues.

Para o efeito, disse, estão mobilizados sobretudo efectivos da ordem pública, estando previsto o uso de novos métodos de actuação por parte dos destacados no terreno, no sentido de detectarem com facilidade os eventuais infractores, antes, durante e depois da Peregrinação.

“Além dos efectivos fardados, nós vamos a actuar com pessoal de baixa visibilidade (a paisana), para se evitar certas ocorrências, porque nas edições anteriores foram notórios os roubos no interior de viaturas e outros acessórios do exterior”, o que se quer evitar, referiu.

Para o efeito, foram criados parques de estacionamento com capacidade para mais de mil viaturas, localizados a oito e a cinco quilómetros da sede municipal, espaços estes com perfeitas condições de segurança.

Estas condições, acrescentou, foram criadas com base em diagnósticos efectuados sobre as edições anteriores, por isso os peregrinos podem confiar na segurança oferecida pela Polícia Nacional e seus efectivos.

Fazem parte das forças policiais de asseguramento no local, efectivos da Ordem Pública, Viação e Trânsito, dos Serviços de Bombeiros, Agentes de Investigação Criminal e da Brigadas Especial de Trânsito e Antí-Crime.

A corporação não vai permitir a condução sob efeito de álcool, por isto haverá um controlo rigoroso nas estradas Catete/ Muxima, bem como a do Cabo Ledo/Muxima, principais vias de acesso ao Santuário.

Serão realizados testes, para medir a quantidade de álcool no sangue, através de bafómetros e controlo de velocidade por radares, não sendo permitido a circulação de viaturas em mau estado técnico e transporte de passageiros em veículos de mercadoria.

Este ano, devido a realização das eleições, convocadas para 23 de Agosto, a Diocese de Viana decidiu anteceder para os dias cinco e seis de Agosto a Peregrinação, para que todos estejam livres e sem pressão de um acontecimento religioso a deslocação à Muxima, evento que movimenta milhares de fiéis. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA