Despedido o engenheiro da Google que defendia desigualdade de género

(WALTER BIERI/EPA)

Documento de dez páginas defendia que as diferenças biológicas justificam o pouco sucesso das mulheres nas empresas de tecnologia.

A Google despediu o autor de um memorando que foi distribuído na empresa e que defendia as desigualdades laborais entre homens e mulheres.

O documento desrespeitava o código de conduta da empresa, explicou na segunda-feira o diretor executivo Sundar Pichai, num email enviado aos empregados, uma vez criticava a política igualitária da empresa e defendia os estereótipos de género.”Sugerir que um grupo de colegas nossos tem características que os tornam biologicamente menos capazes para trabalhar aqui é ofensivo e não está correto”, disse.

A BBC confirma que o responsável, identificado como o engenheiro James Damore, foi despedido.

Depois deste episódio, Danielle Brown, a nova vice-presidente da Google para a diversidade e integridade, enviou uma declaração a todos os trabalhadores condenando o ponto de vista daquele colaborador e reafirmando o compromisso da empresa com a diversidade: “Acreditamos de forma inequívoca que a diversidade e a inclusão são importantes para o nosso sucesso enquanto empresa.”

Este é um tema que tem vindo a ser discutido, uma vez que, tal como a maioria das empresas de tecnologia de Sillicon Valley (EUA), os trabalhadores da Google são maioritariamente homens. As mulheres correspondem apenas 20% da força de trabalho das empresas de tecnologia e os afro-americanos são apenas 1%, de acordo com os relatórios mais recentes. (Diário de Notícias)

DEIXE UMA RESPOSTA