CASA-CE promete escolas aos 3 anos

Apoiantes da CASA-CE (DR)

O candidato da CASA-CE a Presidente da República encabeçou ontem uma passeata por diversas artérias da capital do país, que culminou com uma intervenção no Mercado do Catinton, com a intenção de dar a conhecer o seu programa de governo e “caçar” potenciais eleitores.

Abel Chivukuvuku interagiu, mais uma vez, com o eleitorado e distribuiu afectos por onde passou, não desperdiçando a oportunidade de em breves instantes conversar com as pessoas que encontrou pelo caminho.

Olhou nos olhos e fez o convite: “conto contigo”. Algumas vendedoras, por exemplo, procuraram o candidato para se declararem “fãs” dele. Cenas do género multiplicaram-se ao longo da jornada que começou logo pela manhã no Kilamba Kiaxi. Abel Chivukuvuku percorreu metro a metro para conversar com os indecisos e convencê-los a redefinirem posições. Ao dirigir-se à população, maioritariamente jovem, o Presidente da CASA-CE disse ser preciso imprimir uma mudança ordeira, pacífica e tranquila na actual situação do país, advertindo: “a mudança não cai do céu.

Vocês é que são os donos da mudança. Nós seremos vossos servidores”. Além disso, afastou o “fantasma da guerra”. “Dizem que se o MPLA não ganhar vai haver guerra. É mentira! Guerra só se for MPLA contra MPLA. Só temos uma Forças Armadas e a CASA-CE tem confiança nas nossas Forças Armadas”, sossegou.

A evocação e ataques à governação não tardaram e voltou a atribuir todo o sofrimento dos angolanos ao MPLA. “Passaram-se 42 anos de governação e ainda tem jovens que não conseguem ir para a universidade, as ruas estão esburacadas, não há saneamento urbano e tudo com muito lixo e sem medicamentos nos hospitais”, afirmou, questionando: “quem é culpado do nosso sofrimento”? Criticou a “insensibilidade” dos governantes e apelou ao voto. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA