Cabo Verde candidata-se a membro do conselho executivo da Organização Mundial do Turismo – ministro

Cabo Verde candidata-se a membro do conselho executivo da Organização Mundial do Turismo – ministro (DR)

O ministro da Economia e do Emprego anunciou, em São Nicolau, que Cabo Verde é candidato a membro do conselho executivo da Organização Mundial do Turismo (OMT), cuja eleição ocorre no mês de Setembro, na China.

José Gonçalves, que já garantiu presença no acto de eleição naquele país asiático, sublinhou que está “esperançoso” em como o país pode merecer essa distinção, “pois não seria a primeira vez que tal ocorreria”.

No ano passado, lembrou, Cabo Verde foi eleito para o conselho executivo da ICAO, autoridade mundial da aviação civil, e mantém “posição de destaque” na FAO.

“Isto tudo na linha de colocar o país, a nível da presença internacional, nas grandes instituições de referência, e o turismo dentro do seu verdadeiro lugar, que é o motor principal da economia de Cabo Verde”, sintetizou o governante.

O ministro aproveitou o encerramento da mesa redonda sobre o desenvolvimento do turismo na ilha de São Nicolau, que decorreu hoje na Ribeira Brava, para destacar que este vai ser um “ano importante” para o turismo em Cabo Verde.

“Será concretizado o plano estratégico, para além da iniciativa de elaboração do estudo para a criação do Instituto do Turismo em Cabo Verde, pois chegou a ora, e vai-se mexer com a imagem turística do país”, lançou o ministro, entre outras medidas como as grandes opções do turismo, documento que o Governo quer que seja “orientador e basilar” e com horizonte até 2030.

Por seu lado, o presidente da Câmara do Turismo de Cabo Verde, Gualberto do Rosário, considerou que a mesa redonda demonstrou “de uma forma clara” de que em São Nicolau “se conhece muito bem” o que é necessário fazer no domínio do turismo e que todos os estudos e inventariações que podem ser úteis para o lançamento do turismo na ilha existem.

“É o momento de agir, de transformar esse manancial em produto, em solução de desenvolvimento, mas isto exige obviamente liderança, a começar pelo Governo e pelos autarcas mas também de todos aqueles que vêm potencial nesta ilha”, sintetizou o também ex-governante, natural da ilha de São Nicolau.

Contudo, para Gualberto do Rosário, a “grande prioridade” que a mesa redonda definiu é a da criação da Sociedade de Desenvolvimento Regional de São Nicolau pois, indicou, há privados interessados a participar dessa sociedade ao lado do Estado e dos municípios.

“Isso seria o primeiro passo fundamental para podermos transformar em medidas operacionais tudo o que tem sido pensado, discutido e concluído sobre o futuro turístico da ilha”, lançou Gualberto do Rosário.

Apelou, por fim, à criação da “convergência necessária” para fazer São Nicolau avançar como um dos destinos turísticos “mais bem qualificados” de Cabo Verde, “porque tem potencial para o ser”. (Inforpress)

DEIXE UMA RESPOSTA