Boletins de voto na CNE

(Deutsche Welle)

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) recebeu da empresa INDRA, a última remessa do material que vai ser usado nas Assembleias de Voto no próximo dia 23.

O material foi entregue simbolicamente ao presidente André da Silva Neto da CNE, em cerimónia que decorreu no aeroporto internacional 4 de Fevereiro e testemunhada pelos comissários da instituição.
Do material constam boletins de voto, actas das operações eleitorais e das sínteses, a tinta indelével e os modelos das operações para a contagem dos votos nas Assembleias de Voto. O material está codificado com os nomes das provincias e municípios.

Os kits de material estão organizados de acordo com os códigos de cada Assembleia, Mesa de Voto, Comuna, Município e Província e vai permitir que o material chegue nestas localidades sem qualquer dificuldade.
O primeiro lote, com material de formação para as eleições, chegou no dia 14 de Junho. O material, que se destinava à formação dos elementos que vão trabalhar nas Assembleias de Voto, foi entregue também no aeroporto internacional de Luanda ao presidente da CNE por um responsável da INDRA.

O primeiro lote, de 100 toneladas de carga, era composto maioritariamente por urnas plásticas, boletins de voto simulados e todo o equipamento simulando o material a ser usado numa Mesa de Voto em dia de eleição, para facilitar o exercício dos formandos.

Recentemente, uma delegação de comissários da CNE esteve em Madrid (Espanha), para inspeccionar o material de votação nas eleições gerais. Os comissários visitaram a empresa INDRA, com a qual a CNE estabeleceu contrato para o fornecimento do material de votação, e fazem o acompanhamento e monitorização do material eleitoral que está a ser produzido em Madrid.

Depois de receber o último carregamento do material eleitoral, o presidente da CNE, André da Silva Neto, adiantou que este material deve chegar às 12.152 assembleias de voto até ao dia 15 deste mês.

André da Silva Neto disse que a CNE está a cumprir os prazos estabelecidos na lei para as actividades da CNE. “Com a recepção do material, a CNE termina um conjunto de carregamentos de material logístico eleitoral. Foram um total de 15 voos, com o material eleitoral, que a INDRA trouxe para a CNE. Cerca de 690 toneladas de mercadorias destinadas às eleições gerais e temos todas as condições para a realização com êxito do pleito”, disse.

Observadores

Observadores nacionais e estrangeiros às eleições gerais começam a ser acreditados na segunda-feira pela CNE, anunciou a porta-voz do órgão, Júlia Ferreira.

Indicou que a CNE recebeu pedidos das Embaixadas dos Estados Unidos, Noruega e da África do Sul, que manifestaram o interesse em participar como observadores internacionais no processo eleitoral angolano.
Além dessas missões diplomáticas, entidades individuais internacionais solicitaram à CNE autorização para
participar no pleito eleitoral como observadores.

A CNE recebeu também propostas de duas associações nacionais, nomeadamente, o Fórum Nacional da Juventude e o Instituto Nacional de Sistemas Eleitorais e Democracia (IASED).

A CNE ponderou esses pedidos, tendo atribuído 500 candidatos para cada uma dessas associações, para não ultrapassar a quota de três mil observadores nacionais, fixada por esse órgão. Sobre os observadores, Júlia Ferreira disse haver duas vertentes, a primeira relacionada com os convites endereçados pelos órgãos de soberania, como o Presidente José Eduardo dos Santos, e a Assembleia Nacional, e a segunda, com os partidos e coligações de partidos concorrentes às eleições gerais. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA